terça, 13 de novembro de 2018
Cidades
Compartilhar:

Novo capítulo do caos: agentes jogam lixo na prefeitura de Santa Rita em protesto

Katiana Ramos / 21 de setembro de 2016
Foto: Assuero Lima
A Prefeitura de Santa Rita foi 'invadida' pelo lixo da cidade nesta quarta-feira (21). Foi durante um protesto dos agentes de limpeza da cidade que estão com quatro meses de salários atrasados e foram pedir a regularização da situação. Eles estão com os serviços paralisados e, por isso, o lixo tem tomado conta da cidade. Durante entrevista ao Correio Online nessa quarta-feira (20), o prefeito Severino Alves Barbosa (Netinho de Várzea Nova), disse que pretende deixar tudo regularizado antes de terminar seu mandato em dezembro deste ano.

Durante o ato, os agentes de limpeza despejaram lixo em frente e nos fundos do prédio da prefeitura de Santa Rita, o que ocasionou a interdição de parte das avenidas Juarez Távora e Joana Gomes da Silveira, por cerca de três horas. "A gente trabalha limpando a cidade e estamos sem receber salário há mais de dois meses. Fizemos esse protesto para cobrar o nosso direito. Queremos trabalhar, mas sem receber fica difícil", lamentou a agente de limpeza Adilene Guedes.

Durante o protesto dos agentes de limpeza, uma equipe da Polícia Militar esteve no local para organizar o trânsito e negociar com os trabalhadores a liberação das vias, o que só aconteceu por volta das 12h. Contudo, houve princípio de tumultuo e alguns agentes denunciaram que os policiais teriam agido com violência. "Os policiais chegaram aqui apontando as armas para nós e jogando spray de pimenta no rosto da gente", reclamou um dos manifestantes. Os policias negaram o fato.

al-sta-rita-trab-da-limpeza-urbana-joga-lixo-nas-entradas-da-prefeitura-rua-profa-joana-gomes-da-silva-vulgo-r-do-rio-asl_0487-83Com a paralisação da coleta de resíduos, o mal cheiro e o lixo acumulado tomam conta de ruas e avenidas em vários bairros da cidade e muitos moradores estão recorrendo a práticas antigas, como a queima dos resíduos em terrenos baldios. "A gente não pode reclamar do pessoal da limpeza, porque eles estão sem receber. Então, o jeito é queimar ou enterrar o lixo", disse o vigilante Josival Leite.

Cansada de ver o lixo doméstico se acumular na calçada de casa, Rosa da Silva tem descartado os resíduos em terrenos baldios do bairro da Liberdade. Moradora da avenida Juarez Távora, ela denuncia que a coleta do lixo está irregular na localidade há pelo menos dois meses. Nos bairros do Alto das Populares e Novo Horizonte o problema se repete.

Relacionadas