terça, 13 de abril de 2021

Cidades
Compartilhar:

Motos ‘invadem’ a Paraíba e já superam número de carros

Rammom Monte / 26 de fevereiro de 2016
Foto: Assuero Lima
Você está dirigindo e de repente tem a impressão que dezenas de motos surgiram do nada ao seu redor. E isso não é apenas impressão. As motocicletas "invadiram" a Paraíba. Elas já são quase meio milhão de veículos circulando e superam em 6.666 o número de carros existentes no Estado, de acordo com dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Em apenas um ano - de 2014 para 2015 - o crescimento da frota de motos foi de 42.910, o que representa 9,5% a mais. Mas a que se deve esse aumento?

Além da maior facilidade na hora de adquirir a motocicleta, em relação a um carro, por exemplo, outros fatores contribuem para o crescimento no número de motos nas ruas são a questão da praticidade e também a economia de combustível. O bancário Antônio Carlos, por exemplo, comprou um carro no fim do ano passado e costumava ir ao trabalho todos os dias nele. Mas nos últimos dois meses, ele decidiu deixar o carro na garagem e usar uma moto que ele já tinha, o que vem ocasionando uma economia surpreendente.

“Financeiramente estava inviável ir todos os dias para o trabalho, depois que começou essa leva de aumento. Aí voltei a ir trabalhar de moto. De carro eu gastava cerca de R$ 400 de gasolina por mês. Já com a moto, gasto em média R$ 50 por mês”, disse.

Gráfico - invasão das motos

 

Cuidados necessários

Para evitar que estes números cresçam ainda mais, a Polícia Rodoviária Federal alerta para certos cuidados que os motociclistas devem ter. Além de cuidar do veículo, o condutor precisa também prestar atenção em sua própria conduta e respeitar as leis de trânsito.

Confira algumas dicas da PRF:

- Condutores de veículos duas rodas e seus passageiros devem usar capacetes afivelados;

- Devem evitar trafegar pelos corredores de veículos quatro rodas;

- Não podem trafegar entre um veículo e o acostamento ou meio-fio da direita;

- Não podem ultrapassar em locais proibidos;

- Não devem abrir mão dos espelhos retrovisores (obrigatórios);

- Devem obedecer a velocidade limite da via;

- Devem usar as luzes acesas, inclusive durante o dia, para serem vistos com mais facilidade;

- Devem se posicionar em locais onde o motorista que segue a frente o veja através dos espelhos retrovisores;

- Não podem trafegar sobre calçadas, canteiros e, algo muitíssimo comum, pela contramão de direção.

Ainda de acordo com a PRF, o mau comportamento dos usuários de veículos duas rodas provoca um clima de “guerra” com os condutores de veículos quatro rodas ou mais. E este é um fator que agrava ainda mais o cenário. Os motoristas de veículos maiores também têm um papel a cumprir para que as ocorrências diminuam. A principal delas, de acordo com a PRF, é observar melhor o retrovisor na hora de mudar de faixa ou fazer uma conversão à direita ou esquerda.

A maior parte dos acidentes envolvendo carros (ônibus/caminhões) e duas rodas ocorrem no instante em que o motorista vai realizar uma destas manobras. Os pilotos de duas rodas não deveriam estar circulando entre os carros ou entre eles e as guias de calçada, mas é por isso que muitos usuários de duas rodas entram nas estatísticas.

O órgão também alerta para o estado de conservação do veículo. De acordo com a PRF, isto é muito importante para evitar acidentes; seja duas rodas ou não. Pneus desgastados; luzes apagadas ou queimadas (faróis, freio e piscas) e ausência de retrovisores são os principais itens a serem observados.

Relacionadas