segunda, 15 de julho de 2019
Cidades
Compartilhar:

Motoristas exageram na velocidade em BRs sem lombadas eletrônicas

Aline Martins / 19 de fevereiro de 2019
Foto: Assuero Lima
A retirada dos redutores de velocidade (lombadas eletrônicas e radares) para substituição por novos equipamentos nas rodovias federais na Paraíba tem mudado o comportamento de alguns motoristas que não estão levando em consideração os riscos de acidentes. Isso é algo preocupante, pois 90% dos acidentes, conforme o Observatório Nacional de Segurança Viária, ocorrem devido à falhas humanas – que podem envolver uma desatenção ou o desrespeito à legislação de trânsito.

Em determinadas localidades e horários, é perceptível que muitos condutores têm 'caprichado' ao pisar no acelerador para chegar mais rápido ao seu destino sem levar em conta os perigos e trechos onde há circulação de pedestres e ciclistas.

Duas vezes por dia, o pedreiro Antônio Lourenço, que mora no bairro dos Ipês, em João Pessoa, passa pela BR-230, no sentido Cabedelo, na Região Metropolitana, pela manhã e retorna para casa no final da tarde, já tem percebido as mudanças em relação ao comportamento dos condutores e com isso aumentaram as dificuldades de pedalar pela rodovia. “Quando tinha essas lombadas, os motoristas até respeitavam, passam devagar, dava para perceber mesmo. Agora não, eles passam em alta velocidade, sem respeitar ninguém”, comentou.

Para o autônomo Klênio Silva, que mora em Intermares, no município de Cabedelo, mas se desloca diariamente de moto para João Pessoa, há um lado positivo e outro negativo. “O lado bom é que vai evitar gerar multas desnecessárias. Por outro, é ruim porque tem menos segurança porque em alguns pontos, onde tem curvas ou girador por perto tinha uma lombada que obrigava o motorista a parar. Só que agora não tem mais e com isso tem mais motoristas aumentado a velocidade. É mais risco de acidente, se olhar na questão da segurança”, frisou.

Comportamento. Em algumas localidades, perto de onde havia os equipamentos eletrônicos de redução de velocidade, já ocorreram alguns acidentes como a perda do controle de veículo e colisões, porém, a ausência desses equipamentos não pode ser determinantes para a causa de acidentes, já que o condutor é o principal responsável na condução, caso as vias estejam adequadas para o tráfego.

De acordo com o assessor de Comunicação da Polícia Rodoviária Federal (PRF), inspetor Francenildo Fortunato, os acidentes estão relacionados ao comportamento humano. “Se todos tivessem um comportamento adequado no trânsito não seria preciso colocar lombadas eletrônicas. Independente de radar ou de lombada, os motoristas devem cumprir a sinalização”, frisou.

Ainda de acordo com o inspetor da PRF, se há sinalização nas vias orientando a velocidade correta, se as condições para dirigir são boas, sem perigos, os riscos são mínimos de acidentes. “Eu, como cidadão, tenho que ter responsabilidade. Eu sou parte desse processo no trânsito. Primeiro eu sou responsável pela minha segurança, em segundo eu sou responsável pela segurança das pessoas que estão no veículo comigo e por último eu sou responsável pela segurança das pessoas que estão circulando do lado de fora do carro”, afirmou, destacando a necessidade do condutor entender que a responsabilidade por um trânsito seguro parte da atitude do condutor.

Mais monitoramento



Conforme a Superintendência Regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) na Paraíba, os equipamentos eletrônicos de fiscalização eletrônica de velocidade nas rodovias federais estão sendo substituídos gradativamente, tendo em vista a celebração de novo contrato, que sucedeu o anterior vigente, devido ao limite legal para contratações continuadas no serviço público.

Os 71 equipamentos serão substituídos e acrescidos de mais 115 pontos, totalizando 186 locais monitorados. Este acréscimo se deve às demandas das próprias comunidades lindeiras que cortam nosso estado, da Polícia Rodoviária Federal e de estudos técnicos do Dnit/PB, que identificaram locais críticos em nossa malha rodoviária.

Conforme o Dnit/PB, muitos dos equipamentos novos substituirão lombadas físicas, na transição de trechos rurais para urbanos, trazendo mais conforto e segurança para todos os usuários.

Os equipamentos novos são mais modernos, eficientes e confiáveis, e acompanhados de uma melhor sinalização viária, terão uma operação melhor e proporcionarão ainda mais segurança e tranquilidade aos usuários que trafegam nas rodovias federais paraibanas. Por se tratar de substituição de equipamentos existentes e locais com alto potencial de acidentes, assim que instalados, devidamente sinalizados e aferidos, os mesmos começarão a notificar imediatamente.

A previsão é que a substituição e instalação dos novos equipamentos de fiscalização eletrônica se dê até julho de 2019. Em relação quando (a data) os equipamentos serão colocados na Região Metropolitana de João Pessoa, o Dnit/PB até o fechamento desta reportagem, não havia repassado essa informação.

Relacionadas