domingo, 13 de junho de 2021

Cidades
Compartilhar:

Ministério Público do Trabalho denuncia exploração

Júlio Silva / 22 de setembro de 2015
Foto: Assuero Lima
Informalidade, aliciamento de trabalhadores rurais para trabalho análogo a escravidão e trabalho infantil em feiras livres. Estes são os principais problemas trabalhistas detectados na Paraíba. A situação é pior em municípios do Sertão e Alto Sertão, segundo o procurador-chefe do Ministério Público do Trabalho na Paraíba, Cláudio Gadelha.

Sete dos nove municípios com maior incidência de migração de mão de obra para trabalho escravo estão na região. O projeto “Trabalho de Todos” entrevistou 44 mil pessoas em 14 cidades desde o ano passado.

Um dos primeiros focos do MPT será a questão do trabalho infantil. “Nós vamos estabelecer um calendário para outubro. Vamos realizar audiências coletivas em seis municípios - Sousa, Patos, Monteiro, Campina Grande, Guarabira e João Pessoa. Eles serão notificados a comparecer a essas audiências”, disse o procurador-chefe.

Cláudio Gadelha disse ainda que “quando notificarmos um desses municípios, vamos chamar todos os municípios daquela região. Vamos expor a necessidade de se assinar um Termo de Ajustamento de Conduta para que se elimine o trabalho infantil em feiras livres. Se houver resistência, nós vamos ajuizar ação civil pública”, disse.

Leia mais no jornal Correio da Paraíba

Relacionadas