domingo, 17 de novembro de 2019
Meio Ambiente
Compartilhar:

Orla marítima segue sendo poluída por esgotos

Lucilene Meireles e Katiana Ramos / 27 de dezembro de 2018
Foto: Assuero Lima
Por dia, a Secretaria de Meio Ambiente de João Pessoa (Semam) recebe uma média de 10 denúncias de crimes ambientais, entre eles, de esgotos clandestinos. Quem mais comete infrações são os estabelecimentos comerciais, e um dos principais poluidores é a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) que, de janeiro a novembro, somou mais de R$ 1,8 milhão em multas na Capital.

Em relação ao total de denúncias, o local onde tem mais registros é a Orla, com maior número de denúncias de poluição sonora, seguido por Mangabeira. Porém, vários pontos da Orla também são alvos de denúncias de lançamento de esgoto em local proibido, como ocorre nas imediações das praias de Tambaú e Manaíra.

O secretário de Meio Ambiente de João Pessoa, Abelardo Jurema Neto destacou que todos os dias há fiscais atuando na cidade, atentos para a preservação e recuperação do patrimônio ambiental. Ele destacou que a função da Semam não se restringe à aplicação de autos de infração ou notificações.

“Trabalhamos atentos para a qualidade de vida da população que vive hoje em João Pessoa e também para as gerações futuras. É nesse sentido que conclamamos todos para que atuem como fiscais do meio ambiente, para manter João Pessoa sempre verde, sempre agradável e ofertando qualidade de vida para os moradores”, concluiu.

O que diz a Cagepa

Por meio da Assessoria de Comunicação, a Cagepa informou que “só ocorre lançamento indevido de esgotos quando as estações elevatórias de esgotos operadas pela empresa apresentam falhas temporárias no seu funcionamento, a exemplo de falta de energia, quebra imprevisível de equipamento ou ainda por ações de vandalismo”. Quanto à solução dos problemas envolvendo esgotos clandestinos, a Companhia alegou que esta “fazendo investimentos para solucionar os eventuais transtornos no mais curto espaço de tempo possível. A empresa vem recuperando e reformando estações elevatórias, adquirindo equipamentos reserva e geradores, assim como investindo na instalação de equipamentos de segurança física e eletrônica das unidades. No que se refere às multas aplicadas pela Semam, a Cagepa vem apresentando defesas administrativas junto ao órgão, ao Comam e aos órgãos judiciais competentes”.

Relacionadas