quinta, 26 de novembro de 2020

Meio Ambiente
Compartilhar:

Obras de triplicação da BR-230 irão derrubar quase 600 árvores

Bárbara Wanderley / 05 de outubro de 2018
Foto: Reprodução
As obras de triplicação da BR-230, na Paraíba, vão demandar a retirada de 593 árvores de calçadas e canteiros ao longo da obra entre os quilômetros (Km) 0 e 15, ou seja, de Cabedelo até as imediações do Forrock. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit) na Paraíba garantiu que as supressões de vegetação foram autorizadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

De acordo com o Dnit, a retirada da vegetação tem acontecido pela necessidade de avanço da obra, de modo que não há uma programação para corte de muitas árvores de uma só vez. O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) definiu o plantio compensatório na proporção de duas mudas para cada árvore nativa retirada.

O projeto de plantio compensatório apresentado pelo Dnit, que sugere a área de plantio e as espécies de mudas, além das técnicas de manejo a serem adotadas, já está em análise pelo Ibama.

O Dnit-PB destacou que está em dia com toda documentação solicitadas pelo Ibama, como por exemplo os relatórios semestrais de acompanhamento da obra. “Sempre houve uma boa comunicação entre o Dnit e o Ibama, independente da esfera de atuação e sempre estaremos à disposição”, diz nota enviada pela assessoria de comunicação do departamento.

A Coordenação de Engenharia do Dnit informou que a obra é enquadrada no Programa de Rodovias Ambientalmente Sustentáveis (Profas) e todas as tratativas são realizadas junto ao Ibama Brasília, tendo como intermediador a Coordenação Geral de Meio Ambiente (CGMAB), localizada no Dnit/Sede. Para o acompanhamento, fiscalização, apoio e assessoramento das questões ambientais, o Dnit-PB conta com a Supervisora Ambiental da Obra-Consórcio Ambiente Brasil/Tecon.

Etapa

Atualmente, a obra está concentrada entre os quilometros 2 e 12, e estão sendo executadas as obras de arte especiais (viadutos) e vias marginais. Sequencialmente serão realizados os serviços na pista principal. A previsão de conclusão da obra é para 2020.

Relacionadas