quinta, 21 de março de 2019
Meio Ambiente
Compartilhar:

Incêndio no almoxarifado de Secretaria não é novidade, segundo moradores

Ainoã Geminiano / 17 de julho de 2018
Foto: Rafael Passos
Enquanto os bombeiros trabalhavam para combater o fogo no almoxarifado da Secretaria de Estado da Educação (SEE), no bairro de Mangabeira, na Capital, moradores vizinhos ao estabelecimento reclamavam que esse não foi o primeiro incêndio, com características semelhantes, sem que nenhuma providência fosse tomada. Também disseram que o acúmulo de entulhos a céu aberto virou o criadouro de insetos e até serpentes, que invadem as casas diariamente.

O incêndio começou por volta de meio dia e o relato dos vizinhos é que teria sido provocado por um funcionário, que tentava queimar uma casa de maribondos. “Estávamos dentro de casa quando vimos a fumaça preta tomando conta das casas e saímos assustados. Todo mundo saiu rápido de dentro de casa”, contou a moradora, Sandra Maria Alves, que vive em uma das casas da “Vila da Espep”, como é conhecida a comunidade.

O almoxarifado é cercado pelas casas da comunidade - apenas o muro separava as casas do foco do incêndio. Apesar da forte fumaça tomar conta da comunidade, nenhum morador precisou de atendimento médico.

No pátio do almoxarifado, o fogo consumiu carteiras escolares usadas, que estavam amontoadas. O vento elevou a proporção do incêndio. Além de carteiras, o local guarda outros equipamentos como bebedouros elétricos, que possuem botijão de refrigeração, o que provocou várias explosões. Por muito pouco o fogo não atingiu quaro ônibus escolares, que estão guardados no local.

Segundo os moradores, há cerca de um ano aconteceu outro incidente, com as mesmas características. “Não foi tão grande como esse agora, mas queimou esse mesmo amontoado de carteiras. A gente achava que depois daquele incêndio o Governo do Estado iria tomar alguma providência e mudar o jeito de armazenar isso”, reclamou o morador, Francisco Ranmony Justino, que ajudou na retirada das pessoas que mora mais perto do incêndio de nessa segunda-feira (16).

Nota

A SEE informou apenas que “abriu investigação para averiguar a causa do incêndio” e que “o fogo acometeu materiais inservíveis”. Informou ainda que a possibilidade de o incêndio ter sido criminoso está sendo investigada.

Relacionadas