segunda, 21 de setembro de 2020

Meio Ambiente
Compartilhar:

Lixo ameaça às tartaruga: em uma semana três espécies apareceram mortas em rio Tinto

Katiana Ramos / 10 de dezembro de 2016
Noventa tartarugas apareceram sem vida na costa paraibana, sobretudo no Litoral Sul, este ano. Por mês, são pelo menos sete casos e o lixo no mar é a maior ameaça a vida desses animais, segundo especialistas.

A morte das tartarugas, de acordo com a bióloga e responsável pela Ong Guajiru Tartarugas Urbanas, Rita Mascarenhas, é precoce. Muitas não chegam à idade adulta e a fase reprodutiva, o que pode causar desequilíbrio ao ecossistema marinho. “São tartarugas jovens, com cerca de 30 cm de comprimento de casco que morrem por ingestão de plástico, 60% do casos, e outros 30% têm incidência clara de que ficaram presas em redes de pesca”, explicou a bióloga.

As ocorrências monitoradas com maior precisão pela Ong Guajiru são das tartarugas marinhas que aparecem na faixa litorânea que vai de Cabedelo até a costa do Conde. Por falta de condições de acompanhar todo o litoral paraibano, a estimativa da Ong é que o número de tartarugas mortas em todo o Estado ultrapasse o total de 90 casos registrados este ano, principalmente os que ocorrem no Litoral Norte.

Foi o que aconteceu na última quarta-feira em um trecho da praia de Baía da Traição, onde uma tartaruga verde foi encontrada morta na praia. Já no final de novembro outros dois animais da mesma espécie apareceram mortos em um intervalo de dez dias. “A última estava com restos de uma rede de pesca na braçadeira e a primeira com muito plástico na região do estômago. Como a praia aqui não é suja, certamente elas ingeriram esse plástico em outro trecho da costa e morreram aqui”, relatou o biólogo Brenno Xavier, que mora próximo a praia.

Golfinhos. O biólogo disse ainda que, além das tartarugas encontradas recentemente, esta semana dois golfinhos apareceram mortos no mesmo trecho de praia. “Eram golfinhos de porte médio que, provavelmente, ficaram presos em alguma rede de pesca e morreram afogados”, disse Brenno Xavier.

A morte de golfinhos no litoral paraibano também tem preocupado os ambientalistas. De acordo com Rita Mascarenhas foram quatro casos registrados este ano na costa paraibana, além dessas duas ocorrências registradas em Baía da Traição. “Os golfinhos , do tipo boto de rio, são muito comuns no litoral da Paraíba. Nesse período, onde há a diminuição dos ventos e começa o período da pesca, é comum aparecerem animais mortos que se enroscam nas redes, como acontece com os golfinhos”, acrescentou a bióloga. Segundo Rita Mascarenhas, não é sempre que os biólogos conseguem identificar a causa da morte das tartarugas e golfinhos, devido ao estado de decomposição avançado que muitos chegam ao litoral. Os casos dos golfinhos encontrados na praia de Baía da Traição estão sendo analisados pelos profissionais da Ong Mamíferos Aquáticos, do Projeto Peixe-Boi Marinho.

Problema crônico

80% do lixo jogado no mar é proveniente de embarcações e ainda de rede fluvial que vem da área urbana

20% são resíduos deixados na areia pelos banhistas

Fonte: Estudo da Ong Guajiru Tartarugas Urbanas

 

Relacionadas