sábado, 19 de setembro de 2020

Luto
Compartilhar:

Luto: chargista Luzardo Alves morre aos 84 anos

Redação / 18 de dezembro de 2016
Foto: Divulgação
A Paraíba acordou de luto neste domingo (18). Morreu nesta madrugada, aos 84 anos, o chargista Luzardo Alves, responsável pelas charges do Jornal Correio da Paraíba e do Já. Luzardo era cardíaco e se sentiu mal. Chegou a ser levado para o Hospital Edson Ramalho, mas não resistiu. O velório será a partir das 11h na Morada da Paz e o sepultamento às 15h no cemitério São José em Cruz das Armas.

Foi desenhando com carvão e tijolo nas calçadas do bairro de Jaguaribe, as cenas que via em filmes, quando tinha apenas oito anos, que Luzardo descobriu que gostava de fazer arte. Pouco tempo depois, quando tinha 12 anos, o talento o levou a ser convidado para trabalhar no jornal A União.

Na década de 1960, ele apresentou-se na TV Jornal do Commércio de Pernambuco, onde de um coração desenhado por Cauby Peixoto fez a imagem do Amigo da Onça, em um programa de TV. A criatividade do paraibano chamou a atenção de Assis Chateaubriand, que acabou levando-o para o Rio de Janeiro para trabalhar na revista O Cruzeiro, junto a Péricles, criador do personagem.

No Rio de Janeiro, Luzardo conviveu com os mais ilustres nomes dos quadrinhos, da charge e do humor brasileiro, como Millôr Fernandes, Henfil, Ciça, Juarez Machado, Daniel Azulay, Jaguar, Zélio, Fortuna e Ziraldo, que viria a se tornar posteriormente padrinho de sua filha. Na capital carioca, Luzardo trabalhou na produção de tiras, cartuns, charges para as mais famosas revistas (além de O Cruzeiro, participou da Revista do Rádio, e dos jornais Correio da Manhã e O Dia). Também confeccionou arte para capas de revistas em quadrinhos destinadas ao público infantil, como Bolinha, Luluzinha, entre outras.

Luzardo era irmão do cantor Livardo Alves, que ficou imortalizado por suas composições, entre elas a famosa marchinha carnavalesca ‘Marcha da Cueca’(Eu mato, eu mato / Quem roubou minha cueca / Pra fazer pano de prato…).

Relacionadas