segunda, 14 de junho de 2021

Justiça
Compartilhar:

Sobram processos, faltam juízes: 70 comarcas da Paraíba estão sem magistrados

Bruna Vieira / 10 de novembro de 2015
Foto: Assuero Lima
João Pessoa foi a primeira capital do Nordeste a receber o Placar da Justiça. Nessa segunda-feira (09) ele esteve disponível na sede da Justiça Estadual. O objetivo é esclarecer à população sobre a demora no trabalho executado pelo judiciário, causado pela sobrecarga de processos. A Justiça está abarrotada de ações. Na Paraíba, mais da metade dos 680 mil processos em andamento poderiam ser evitados, se empresas de telefonia e instituições financeiras cumprissem suas obrigações com os consumidores.

A consequência do excesso de ações é a lentidão no julgamento dos processos. O presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, Marcos Cavalcanti acredita que os acordos são uma alternativa. “É preciso que se conscientizem para a mediação, para que não haja tantas ações, pois a justiça não dá vencimento de tantos processos”, disse.

Se sobram processos, faltam juízes. Segundo o presidente da Associação dos Magistrados da Paraíba, Horácio de Melo, 70 comarcas estão sem juízes no Estado. “Falta orçamento para contratar mais juízes, se estivessem todos trabalhando, a resposta seria mais rápida.Os grandes litigantes obrigam que os seus funcionários, servidores e clientes entrem na justiça para cobrar um direito que poderia ser dado a nível administrativo. A cada 5 segundos um processo entra no judiciário brasileiro”, ressaltou o magistrado.

Os mais processados na Paraíba em 2013:

Setor financeiro – 37,5% dos processos

Serviços de telefonia e comunicações – 25,5%

Administração pública estadual – 14,3%

(Fonte: AMB)

Sistema financeiro é campeão na Paraíba

2010 - 57,3% dos processos

2011 – 68,7%

2012 – 63,8%

2013 – 37,5%

Relacionadas