quinta, 27 de junho de 2019
Justiça
Compartilhar:

Procurador defende indicação de Raquel Dodge para PGR

Gabriel Botto / 26 de julho de 2017
Foto: Nalva Figueiredo
O Procurador Chefe do Ministério Público Federal na Paraíba, Rodolfo Alves, falou sobre a atuação do Procurador Geral da república, Rodrigo Janot e sobre a escolha da Procuradora Raquel Dodge para os próximos dois anos à frente da PGR. Comente e assista ao vídeo no fim da matéria.

“O colega Rodrigo Janot chegou ao cargo máximo da instituição em um momento histórico, vemos aí há mais de três anos, uma atuação destacada, com fatos envolvendo várias autoridades públicas do alto escalão, então ele esteve em um momento de bastante efevercência da instituição, por isso eu costumo dizer que o colega Janot teve a felicidade de participar desse momento histórico, atuando com bravura, portanto, isso é o que nos envaidece e o colocam como líder da instituição e agora ele passa o bastão, que é um gesto natural”, disse o Procurador Chefe do Ministério Público Federal na Paraíba, Rodolfo Alves em entrevista à Rádio Correio SAT/98FM.

Sobre a escolha do Presidente Michel Temer, que optou pela procuradora Raquel Dodge e uma possível insatisfação com essa indicação por parte dos procuradores, Rodolfo Alves destacou que não passam de boatos e que confia em todos que compuseram a lista tríplice.

“Não ocorreu nenhum levante na instituição contra a indicação da colega Raquel Dodge, pelo contrário, todos confiam e acreditam no trabalho dos três que compuseram a lista tríplice. A opção do Presidente Temer pela colega Raquel é legal, pois o presidente pode escolher um dos três componentes da lista tríplice”, destacou o Procurador Rodolfo Alves.

Sobre possíveis brechas na Lei Ficha Limpa, ocasionando na candidatura de políticos condenados, o Procurador Rodolfo Alves disse que as brechas podem ocorrer, desde que julgados por um tribunal superior.

“Essa é sempre uma questão muito tormentosa, mas o fato é que a lei ficha limpa permite sim que um tribunal superior, no caso o STJ ou STF, possa suspender esse efeito da condenação em relação a um eventual candidato, claro que é uma questão de interpretação e cada caso tem suas particularidades”, disse o Procurador Chefe do Ministério Público Federal na Paraíba, Rodolfo Alves em entrevista à Rádio Correio SAT/98FM.

Sobre os pré-candidatos a algum cargo eletivo nas eleições de 2018 estarem realizando atos ilegais de pré-campanha, o Procurador Rodolfo Alves destacou que o Ministério Público Eleitoral está com os olhos abertos para qualquer tipo de prática que venha a infringir a legislação eleitoral.

“o Ministério Público Eleitoral está sempre atuante e sempre procurando identificar essas situações, não posso falar com conhecimento de causa, pois não atuo diretamente na matéria eleitoral, mas tenho certeza que os colegas que atuam na área estão sempre antenados quanto a isso”, destacou o Procurador Rodolfo Alves.

Sobre as ações contra a corrupção em andamento no estado, o Procurador afirmou que o Ministério Público não para de realizá-las, trabalhando dia e noite em combate à práticas ilícitas.

“Não paramos de ter qualquer tipo de ação nesse quesito, é um trabalho continuo, é um trabalho diário do Ministério Público Federal e hoje podemos dizer que é o carro chefe da instituição no estado, a investigação de desvios de recursos públicos federais tanto na esfera penal como na esfera civil, então esse é um trabalho diuturno é um trabalho que todos os colegas de Sousa a João Pessoa vêm fazendo com bastante dedicação”, finalizou o Procurador Rodolfo Alves.


Relacionadas