terça, 26 de janeiro de 2021

Justiça
Compartilhar:

Família de agente de trânsito irá à Justiça contra atropelador

Aline Martins / 26 de janeiro de 2017
Foto: Lázaro Ramalho via whatsapp
A família do agente da Operação Lei Seca, Diogo Nascimento Sousa, 34 anos, atropelado e morto quando trabalhava em uma blitz na madrugada do último sábado, pretende entrar na Justiça contra Rodolpho Gonçalves Carlos da Silva, acusado de matar o agente. A ação será movida em parceria com o Sindicato dos Trabalhadores do Detran. Ontem, houve o segundo ato contra a impunidade do acusado do crime, no Busto de Tamandaré em Tambaú, na Capital.

O presidente da entidade, José Vieira, disse que o sindicato está dando os encaminhamentos necessários. Ele acrescentou que já está preparando a documentação e deve tramitar em quatro ou cinco dias.

Reconstituição. A Polícia Civil informou que ainda não há uma definição sobre a data da reconstituição do atropelamento. O superintendente regional da PC, Marcos Paulo Vilela, disse que todas as perícias já foram solicitadas. “Foram requisitadas as perícias, mas os laudos ainda não foram entregues a Delegacia de Homicídios para ser juntado ao inquérito. Estamos esperando a confecção dos laudos como o laudo de cadavérico, do local, do veículo e as imagens que foram apreendidas”, afirmou, destacando que o normal é que o resultado saía em 10 dias, mas devido à demanda ou complexidade do caso isso pode demorar um tempo. Entre a segunda-feira e ontem, apenas o condutor do Porsche foi interrogado.

O delegado informou que está verificando a viabilidade para poder marcar a data. Informou que a reprodução simulada ajuda a entender as circunstâncias dos fatos de como se deu na dinâmica do crime. “Mas em termos de materialidade do crime e da autoria não tem a menor dúvida. Está esclarecido”, pontuou.

O delegado reforçou que Rodolpho não necessita estar presente na reconstituição. “Do principio de que ninguém é obrigado a constituir prova contra si, infelizmente a gente não tem como obrigar ele a participar, ele dar elementos de como foi, para você ter ideia ele ficou o tempo todo em silêncio”, explicou.

Relacionadas