segunda, 17 de junho de 2019
Cidades
Compartilhar:

Justiça acaba com dupla função de motoristas de ônibus em CG

Wênia Bandeira / 08 de dezembro de 2018
Foto: Codecom/PMCG
Os motoristas de ônibus urbanos de Campina Grande não poderão mais exercer a função de cobrador. A decisão foi tomada pela juíza da terceira vara da fazenda pública, Nayara Queiroz Mota de Sousa, e publicada ontem. A Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STTP) deverá fazer a fiscalização para que a determinação seja cumprida, mas as empresas vão recorrer.

Os cerca de 480 motoristas comemoram o fim do exercício da dupla função, mas dizem que estão apreensivos com a decisão. O motivo seria o custo para tornar esta resolução uma prática em todos os ônibus.

“É algo realmente importante para o trabalhador que terá seus direitos garantidos, mas por outro lado será que as empresas vão conseguir pagar por outro profissional que possa exercer esta função?”, questionou o presidente do sindicato dos motoristas de ônibus da cidade, Antonino Macedo.

Os usuários do transporte público também gostaram da ideia, apesar do medo de ter que pagar mais caro pela passagem. Isso porque seriam vários os motivos para que esta dupla função não aconteça.

“Com o motorista tendo que pegar o dinheiro e passar o troco para os passageiros, acontece o atraso nas viagens. Os ônibus passam muito tempo parados e um percurso curto acaba precisando de um tempo a mais para ser feito”, explicou o estudante Douglas Junior, 22 anos.

O superintendente da STTP, Félix Neto, falou que passar o troco com o ônibus em movimento é proibido. De acordo com ele, condutores e empresas podem ser punidas se forem pegos em flagrante cometendo a infração.

“Já foram feitas várias palestras, mostrando que o troco precisa ser passado com o veículo parado”, afirmou.

A STTP será encarregada de fiscalizar o funcionamento da determinação judicial. Félix Neto salientou que já recebeu o comunicado dos empresários informando que irão recorrer da decisão.

“As empresas vão recorrer, mas nosso papel é de ponderação. Em janeiro sempre ocorre a discussão sobre aumento de tarifa de ônibus. O Brasil está em crise e ninguém aguenta aumento de nada, se for necessário contratar cobradores os passageiros sentirão no valor”, disse.

Bilhete eletrônico. A STTP está estudando implantar a bilhetagem eletrônica como única forma de pagamento de passagens no transporte público. Félix Neto afirmou que a ideia é seguir exemplos de outras cidades pelo país, como Goiânia e Campo Grande, onde o pagamento é feito apenas com o cartão.

Em Campina Grande, a bilhetagem eletrônica é a única forma de pagamento a partir das 20 horas. Ele afirmou que não há reclamações quanto a esta forma de trabalho, mesmo com muitas pessoas usando o transporte sem o cartão disponível.

A superintendência irá marcar reuniões com o Ministério Público da Paraíba para dialogar sobre o assunto.

Relacionadas