terça, 24 de novembro de 2020

João Pessoa
Compartilhar:

Promotoria e Samu entram em conflito durante resgate a idoso abandonado

Da redação / 05 de julho de 2016
Foto: Divulgação
A 1ª Promotora dos Direitos do Cidadão de João Pessoa, Sônia Maia, denunciou nesta terça-feira (5) que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência teria se recusado a socorrer um idoso que está em situação de desnutrição em uma casa no bairro do Bessa, na Capital. A a coordenadora geral do Samu, Érika Andrade, negou que houve negligenciamento no atendimento. Segundo ela, a ambulância já está a caminho do local.

De acordo com a promotora, o idoso está em uma rede, desnutrido, sem poder se levantar. Ainda de acordo com Sônia Maia, o idoso se recusou a ir hoje para o Hospital Padre Zé (onde ela arrumou uma vaga para ele) e, por isso, o Samu solicitou que fosse encaminhado um ofício para poder removê-lo do local.

Conforme a promotora, o Samu alegou que só há uma ambulância em João Pessoa voltada exclusivamente para casos de extremas urgências. Sônia afirmou ainda que já está providenciando o ofício e, que a partir de agora, a integridade física dele será total responsabilidade do Samu.

“Tudo que acontecer com ele hoje é responsabilidade do Samu. Vou mandar o Samu, eles vão ficar responsáveis. Já fiz a minha parte”, afirmou.

A coordenadora do Samu explicou que a ambulância não foi atender a ocorrência no momento da solicitação, pois estava em outro atendimento. Porém, ela ressalta que, caso o idoso de fato se recuse a ser encaminhado ao hospital, o Samu não poderá fazer a internação compulsória, precisando assim de um ofício para poder realizar o procedimento.

Relacionadas