sábado, 06 de março de 2021

João Pessoa
Compartilhar:

Bebê encontrado em lata de lixo morreu sufocado, confirma perícia

Luana Barros / 30 de setembro de 2015
Foto: Assuero Lima
A Delegacia de Crimes contra a Pessoa (Homicídios) de João Pessoa divulgou, nesta quarta-feira (30), o laudo do exame realizado no corpo de uma menina recém-nascida encontrada morta no dia 21 de setembro, no bairro do José Américo. O resultado e também o andamento das investigações, foi informado durante coletiva de imprensa na Central de Polícia Civil, onde estavam presentes o delegado titular Reinaldo Nóbrega e o Gerente de Medicina Operacional , Flávio Fabres,  que é perito do Instituto de Medicina Legal (IML) Paraíba.

Segundo Flávio Fabres, a causa da morte foi asfixia por sufocação direta, provocada pelas sacolas onde ela foi colocada, o que impossibilitou a respiração da criança. Também foi constatado que houve ação externa no tórax da menina, o que significa que com o lixo colocado em cima da criança houve pressão no abdômen.  Mas o bebê não teve nenhuma lesão provocada por violência externa e estava morta há mais de seis horas quando o exame foi feito, no dia em que foi encontrada.

Os exames confirmaram também que o bebê tinha apenas 3,2 quilos e 41 centímetros e nasceu viva, descartando a hipótese de ter sido um aborto, segundo o delegado a mãe da criança ainda não foi identificada. ‘’De uma coisa temos certeza, a criança sofreu bastante’’, disse.

O delegado Reinaldo Nóbrega ressaltou que ainda não há pistas de quem teria abandonado o bebê. "Fiquei bastante comovido com o caso, porque aquele recém-nascido era o sinônimo da inocência, a mesma poderia hoje estar viva e com saúde. Também peço que a população colabore denunciando possíveis suspeitos, já que foram feitas diligências nas maternidades da cidade e as imagens das câmeras de segurança não ajudaram na investigação, e nenhuma denuncia foi feita até agora ’’, disse.

A recém-nascida foi encontrada na Rua José Marques de Souza, no Bairro do José Américo por um agente de limpeza que buscava material reciclável quando se deparou com a criança que se encontrava envolvida em sacos plásticos, dentro de uma lata de lixo.

 

 

 

 

Relacionadas