quinta, 21 de janeiro de 2021

João Pessoa
Compartilhar:

Moradores pedem semáforo a Semob em ‘cruzamento das batidas’

Lucilene Meireles / 03 de junho de 2016
Foto: Nalva Figueiredo
Em 30 dias, a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de João Pessoa (Semob) vai definir se será ou não implantado um semáforo no cruzamento das ruas Geraldo Mariz e Vandick Filgueiras, no bairro de Tambauzinho. O pedido dos moradores do local é em razão dos acidentes que ocorrem desde 16 de março, quando foi inaugurado o viaduto da Rua Geraldo Mariz. Nem a Semob, nem o Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTran) têm dados dos acidentes no local.

José Carlos Pontes, encarregado de uma obra no cruzamento, disse que presenciou mais de dez ocorrências. Ele relatou que os carros passam em alta velocidade e não param, apesar da placa de sinalização. “Tento avisar para os motoristas que a Vandick Filgueiras passou a ser mão única, mas o que eu ouço é palavrão”, disse. A Rua Vandick Filgueiras passou a ser mão única do trecho entre a Rua Governador José da Silva (Espaço Cultural) até a Epitácio Pessoa.

Na quarta-feira, o filho do funcionário público Arimatéia Maciel foi atingido por um motorista na contramão. “Bateu forte e o prejuízo é de mais de R$ 2 mil. Só numa manhã aqui teve seis colisões. Precisa de um semáforo”, disse. Para o promotor de eventos João Paulo Batista, a culpa é dos motoristas. “A Semob fez o que deveria ser feito. Há sinalização. O que falta é um motorista mais prudente”, destacou.

De acordo com o comandante do BPTran, coronel Almeida Martins, consta apenas uma ocorrência no sistema do Batalhão, porque o BPtran não vai mais a local de acidente sem danos materiais. Já o superintendente da Semob, Carlos Batinga, afirmou que a via está bem sinalizada, mas está monitorando o local e avaliando a necessidade real do semáforo.

"Os acidentes acontecem pela irresponsabilidade do motorista, mas estamos avaliando a possibilidade de instalar um semáforo, embora seja a última opção. Poderia ser um redutor, mas vai reduzir a capacidade da via. Tem mesmo é que respeitar a sinalização, o que não acontece", Carlos Batinga, superintendente da Semob.

Intervenção necessária

“A coisa é grave e eu vi in loco. Um dia, ia passando e o cara ia dando uma pancada na viatura. A população está correta. Tem que haver modificação ou um trabalho forte na questão educativa e policiamento da Semob”, Coronel Almeida Martins. Comandante do BPTran.

Relacionadas