quarta, 14 de novembro de 2018
João Pessoa
Compartilhar:

Mercados públicos em estado de abandono

Lucilene Meireles / 27 de outubro de 2018
Foto: Nalva Figueiredo
“Isso aqui virou uma favela. Está tudo destruído, em situação de abandono. São tantas praças na cidade e nada de reforma onde realmente precisa”. A constatação é de um comerciante que atua há 42 anos no mercado público do Bairro dos Estados, em João Pessoa. O local, que nunca passou por uma reforma, é apenas um entre os que precisam de ações urgentes para solucionar problemas como a total ausência de infraestrutura.

Sujeira, mau cheiro, água suja escorrendo entre os boxes, piso esburacado nas áreas interna e externa, presença de animais são comuns no cotidiano dos mercados públicos. O pior é que, mesmo após muitas promessas de reforma, poucos, de fato, receberam melhorias. Atualmente, o único que está sendo ampliado é o de Jaguaribe. Nos demais, porém, as condições afastam o cliente e preocupam comerciantes.

“São os velhos problemas que nunca são resolvidos. O consumidor só vem pela qualidade do produto”, observou uma comerciante do mercado do Bairro dos Estados, que preferiu não se identificar. O colega do box ao lado afirmou que o bairro, considerado nobre, deveria ter um mercado modelo, mas o que existe hoje são vários boxes fechados e outros demolidos.

Enquanto isso, Neuria Gadelha precisou alugar um box para comercializar refeições. “Isso, sem contar com o mau cheiro de urina do pessoal que fica circulando durante a noite”, ressaltou.

Sem esperança. Os comerciantes que atuam no Mercado Central já perderam as esperanças de ver o local reformado. As obras, que começaram em 2006, nunca foram concluídas. No galpão de frutas e verduras, as queixas incluem goteiras e instalação elétrica precária. “Essa reforma não vai acontecer nunca, e a gente fica trabalhando em barracas improvisadas”, lamentou Josenilda da Silva, que está no local há 25 anos e não conseguiu um box para vender feijão verde.

Enquanto no mercado Central, as obras não avançaram, no mercado de Oitizeiro elas nunca aconteceram. Na área, foi feita a desobstrução das calçadas e o reordenamento dos comerciantes que atuavam no passeio, para evitar acidentes e deixar a calçada livre.



Jaguaribe: obras em fevereiro

Por enquanto, o que está autorizado pelo prefeito de João Pessoa em termos de reforma é o mercado de Jaguaribe. O serviço, de acordo com o secretário de Desenvolvimento Urbano (Sedurb), João Furtado, está em execução e a previsão inicial é de que seja concluído em fevereiro. A reforma é executada pela Seinfra.

Ele disse ainda que há previsão de alguns reparos no mercado de Oitizeiro. “A licitação foi feita para reforma parcial das coisas mais críticas na parte interna. Já temos construtora e estamos esperando o prefeito colocar na agenda a expedição da ordem de serviço”, disse.

Já para o mercado do Bairro dos Estados, há um projeto concluído. O secretário afirmou que será uma reforma ampla, mas não especificou detalhes. Ele explicou que, como os recursos não são suficientes, o município vai fazendo as obras aos poucos.

Outro mercado que deve passar por intervenções é o do Geisel, principalmente na pavimentação externa, com nivelamento das calçadas para garantir acessibilidade. Já no mercado do Valentina, haverá mudança do local da feira, que já foi projetado e está na Secretaria de Planejamento (Seplan). “Acredito que em dois meses deve estar iniciada a execução”.

Para os demais, devem ser realizadas reuniões com o prefeito para que seja feita uma nova programação. “Não podemos falar sobre novas reformas, mas sabemos da necessidade de se fazer algo”, concluiu.

Mercado Central. O início da reforma e ampliação do mercado Central foi em 2006 e o prazo para conclusão seria 2012, ou seja, há seis anos. A última obra no local foi em 2011 e não há nenhuma intervenção sendo executada.

De acordo com o secretário João Furtado, este é um caso mais complicado. “O mercado Central é complexo, muito grande. Temos dificuldades administrativas e interferências estranhas ali. Estamos nos organizando para mostrar um setor administrativo mais forte”, observou.

Porém, em termos de reforma, não há nada previsto. “O primeiro passo que vamos fazer é melhorar mais a questão administrativa, ampliar os quadros e controlar problemas. Depois, vamos apresentar um projeto ao prefeito”. O prazo não foi informado.

Limpeza diária

Através do setor Operacional, a Emlur, empresa responsável pela limpeza urbana, informou que o serviço, em todos os mercados públicos de João Pessoa, administrados pela PMJP, é realizado diariamente, no mínimo duas vezes, por equipes fixas, que executam serviços de varrição, catação e remoção de lixo.

A Autarquia destacou que os comerciantes e usuários desses espaços públicos não colaboram com a manutenção da limpeza. Segundo a Emlur, descartam de forma errada os resíduos gerados ao longo do dia, em locais inadequados, espalhando lixo, gerando poluição desnecessária, colaborando para a proliferação de vetores.

Leia Mais

Relacionadas