sábado, 23 de janeiro de 2021

João Pessoa
Compartilhar:

Memória e artes sob agressões: pichação e abandono nos monumentos de JP

Ana Daniela Aragão / 08 de novembro de 2015
Na Capital, são encontrados diversos monumentos como obeliscos, estátuas, bustos e etc. No primeiro momento, a visão é bela, mas de perto a realidade é outra. No Centro, por exemplo, monumentos de artistas locais estão sujos e alguns com teias de aranha.

Outros estão pichados e pintados de forma indevida. E há aqueles que tiveram partes desaparecidas. Segundo a museóloga da Coordenadoria do Patrimônio Cultural (Copac), Eleonora Klytta são realizadas vistorias a fim de avaliar as condições de conservação dos monumentos para cumprir agendas e prazos.

De acordo com a museóloga, a equipe da Copac está elaborando um inventário oficial baseado na Constituição Federal de 1988 que incluem os bens culturais móveis e integrados.

“A maioria dos monumentos, mesmo inseridos em parques Municipais de relevância histórica e artística, foram tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) ou Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba (Iphaep) respectivamente. A prefeitura somente pode intervir na restauração com a aprovação destes órgãos”, declarou.

Agressões

▶ A maleta da estátua do poeta Manoel José de Lima (Caixa D’água).

▶ Os óculos da estátua do cantor e compositor Livardo Alves.

Está pichada!

▶ Estátua de Antenor Navarro- Praça Antenor Navarro

Estão sujas!

▶ Estátua do Barão de Rio Branco- Praça Rio Branco

▶ Estátua do Senador Álvaro Lopes machado – Praça Dom Ulrico

Os Bens Culturais ou Monumentos são classificados em diferentes categorias, no caso da Copac:

▶ Natural,

▶ Móveis e Integrados,

▶ Imaterial, saberes, celebrações e expressões,

▶ Arquitetônico e urbanístico,

▶ Acervos e Arquivos.

50

▶ é a quantidade de Bustos, Estátuas e Obeliscos em João Pessoa.

Relacionadas