quarta, 19 de dezembro de 2018
João Pessoa
Compartilhar:

Unidades de saúde de João Pessoa estão não têm acesso e dificultam vida de cidadãos

Bárbara Wanderley / 24 de agosto de 2018
Foto: Nalva Figueiredo
Diversas Unidades de Saúde de João Pessoa apresentam dificuldades de acesso para cadeirantes, deficientes visuais, idosos e pessoas com dificuldade de locomoção de modo geral. São calçadas desniveladas, poucas rampas de acesso, ausência de piso tátil, buracos e outros obstáculos que precisam ser enfrentados pelos usuários dos serviços. Um exemplo é o Centro Equilíbrio do Ser, nos Bancários.

As calçadas da praça que dá acesso ao centro estão esburacadas e diversas galerias de água pluvial que ficam nas laterais da praça estão destampadas ou com as tampas quebradas, oferecendo risco de acidentes. Em uma delas o buraco é tão grande que dá até para cair uma criança. Moradores da área dizem que há muito tempo o estado da praça é precário. O percurso até a entrada do centro não conta com piso tátil que auxiliaria deficientes visuais.

Usuária do centro, Irinete da Silva também destacou a dificuldade para atravessar a Avenida Bancário Sérgio Guerra, a principal dos Bancários, que é bastante movimentada. Apesar de haver paradas de ônibus bem em frente ao centro, não há faixa de pedestre próxima e o canteiro central da via não tem nenhuma abertura por onde dê para passar uma cadeira de rodas. Dessa forma, a travessia é arriscada e pessoas com dificuldade de locomoção não tem como passar pelo canteiro.

Na Unidade de Saúde da Família Mangabeira, localizada ao lado do Restaurante Popular, o meio-fio é muito alto e só há uma rampa de acesso para deficientes. O percurso após a rampa é irregular e também não há piso tátil. Para quem vai de carro até a unidade, é necessário ir para a rua para poder acessar a rampa, já que não há um acesso direto das vagas de estacionamento para a calçada.

A cuidadora de idosos, Maria das Neves, conhece as dificuldades de locomoção que as pessoas mais velhas muitas vezes enfrentam e destacou que quedas em idade avançada são muito perigosos. “Aqui é muito difícil para cadeirantes e também para idosos, as calçadas são muito irregulares”, disse.

Castelo Branco. Na Unidade de Saúde da Família do Castelo Branco a situação é um pouco melhor e há uma rampa de acesso bem em frente à entrada. Não há, no entanto, piso tátil, nem acesso direto do estacionamento para a calçada, de forma que o cadeirante que desce do carro precisa ir primeiro para a rua para poder chegar à rampa.



Prefeitura vai vistoriar locais

Procurada pela reportagem, a Secretaria de Infraestrutura (Seinfra) do município informou que irá realizar uma vistoria nas calçadas citadas e encaminhar ao setor de manutenção a questão das tampas de galerias. A população também pode solicitar o reparo de tampas de galerias pelo telefone.

Por meio da assessoria, a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob-JP), informou que não recebeu e não registrou nenhuma solicitação de faixa de pedestre e adequação do canteiro central na Rua Bancário Sérgio Guerra (em frente do Centro Equilíbrio do Ser), nos Bancários. No entanto, a equipe da Divisão de Desenvolvimento de Projetos (DDP) vai realizar uma avaliação técnica da referida situação.

SMS. Já a assessoria da Secretaria Municipal de Saúde informou que os serviços de saúde da rede cumprem todas as normas preconizadas pela política de acessibilidade para melhor atender seus usuários. Alguns serviços que funcionam em prédios mais antigos ou alugados cumprem as normas dentro de limites estruturais de cada espaço.

Leia Mais

Relacionadas