domingo, 19 de novembro de 2017
João Pessoa
Compartilhar:

Casa de ex-prefeito de Santa Rita é invadida e e mais de seis mil dólares são roubados

Aline Martins / 07 de abril de 2016
Foto: Rafael Passos
A residência do ex-prefeito do município de Santa Rita, Marcos Odilon Coutinho, foi invadida por três pessoas na madrugada de ontem, no bairro de Tambaú, em João Pessoa. Segundo relatos da família à polícia, todos dormiam quando foram acordados por homens armados dentro de casa perguntando onde estava o cofre. Dois relógios, R$ 2 mil reais e US$ 6 mil foram roubados, um valor total estimado em mais de R$ 126 mil. Na área, alguns comerciantes e trabalhadores relatam que há policiamento, mas é frequente a presença de pessoas estranhas circulando pelo local.

De acordo com o comandante da Companhia Especializada de Atendimento ao Turista, capitão Gleidistone Cavalcanti, o assalto teria ocorrido por volta das 3h30. Os assaltantes procuravam o cofre do local. A casa não tinha sinais de arrombamento e possivelmente o grupo teria pulado o muro da casa que dá acesso a rua paralela da residência.

O proprietário contou a polícia que acredita que tenha deixado uma porta de vidro aberta – local de provável entrada dos criminosos. Segundo o capitão, no horário que aconteceu o crime havia alguns bares abertos e a polícia vai tentar localizar na área se há imagens que ajudem a polícia nas investigações. Algumas pessoas contaram a polícia que teriam visto um carro Hyundai Veloster, de cor branca.

Durante a manhã de ontem, a Delegacia de Roubos e Furtos da Capital colheu depoimentos das vítimas e também periciou a residência. Segundo a delegada Júlia Valeska Magalhães, a Polícia Civil está em diligência para encontrar os responsáveis pelo assalto. “Tomamos as providências iniciais que foi ouvir depoimentos das pessoas, perícia para encontrar indícios de autoria”, informou.

Área policiada, mas há presença de pessoas estranhas

Quem trabalha na área comenta que durante o dia a orla é considerada policiada, mas mesmo assim, é frequente ter a presença de pessoas suspeitas na localidade. “A gente sempre vê pessoas suspeitas, que vão roubar, mas não podemos ter certeza se são. Hoje a gente desconfia de todo mundo”, observou Andrea Albuquerque. Da mesma forma comentou o garçom, Alexsandro dos Santos. Ele disse que até 23h há policiamento, depois disso é difícil ver polícia na área. “Sempre vemos pessoas estranhas na área”, frisou.

Relacionadas