quinta, 25 de fevereiro de 2021

João Pessoa
Compartilhar:

Calazar leva 160 cachorros para o sacrifício na Capital

Socorro e Silva / 01 de julho de 2017
Foto: Nalva Figueiredo
Cento e sessenta cachorros de João Pessoa tiveram diagnóstico positivo para leishmaniose visceral (calazar) no primeiro semestre deste ano. A doença transmitida pelo mosquito-palha - conhecido popularmente como “birigui” - provoca crescimento excessivo das unhas, perda de pelo, ferimentos que não cicatrizam, principalmente na ponta da orelha e da calda, e emagrecimento rápido do animal. Em caso de diagnóstico positivo, o bicho precisa ser sacrificado para evitar o risco de contaminação.

O alerta sobre a necessidade de matar o animal é feito pelo Ministério da Saúde e do Conselho Regional de Veterinária. “Apesar de haver cura para o humano infectado com calazar e identificado precocemente, não há tratamento e cura para os cães. Infelizmente, a única medida é a eutanásia do animal para evitar o risco de contaminação”, alertou a veterinária do Centro de Zoonoses, Suely Silva.

O exame é feito no Centro de Zoonoses da Prefeitura e, em caso de resultado positivo, o usuário retorna com o cão para casa e a amostra de sangue do animal é enviada para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) para um exame mais completo e o diagnóstico definitivo. “Somente com esse resultado do Lacen é que procuramos o dono do animal infectado e pedimos a entrega do cão para ser eutanasiado. Tudo isso é explicado à população quando eles procuram os nossos serviços”, esclarece o gerente de Vigilância Ambiental e Zoonoses, Nilton Guedes.

O teste está disponível diariamente, das 8h às 18h, para as pessoas que tenham cachorro e suspeitem que eles estejam doentes, sem a necessidade de marcação. “O resultado do exame fica pronto em até 30 minutos”, diz Nilton Guedes. Os testes rápidos para diagnóstico do calazar são feitos desde 2013.

Castração. Entre janeiro e julho deste ano, 651 animais foram esterilizados no Centro de Zoonoses da Prefeitura de João Pessoa. O serviço, feito por médicos veterinários, é gratuito e destinado a manter o controle populacional de cães e gatos na cidade. Antes da cirurgia, o animal passa por uma triagem que irá definir suas condições físicas e, em seguida, é encaminhado para a intervenção cirúrgica. A castração acontece apenas em animais com idade a partir de oito meses. Nos animais domésticos, o procedimento só é feito com a autorização dos donos. Além do serviço de castração, o Centro também realiza campanhas de vacinação e vermifugação. Também averigua denúncias de maus-tratos e abandono de animais e recolhe os bichinhos em perigo. O local também oferece animais para adoção.

Serviço

O Centro de Vigilância Ambiental e Zoonoses de João Pessoa está localizado à Avenida Walfredo Macedo Brandão, n° 100, Bancários. O serviço disponibiliza os telefones 3218-9357 e 08002827959 para atendimento à população.

Relacionadas