sexta, 19 de abril de 2019
João Pessoa
Compartilhar:

Atraso nos repasses de programa federal provoca demissões e paralisações de obras

Redação / 10 de abril de 2019
Foto: Arquivo
Mais de três mil trabalhadores do setor da construção civil já foram demitidos e 1,5 mil unidades habitacionais estão com as obras paradas em João Pessoa, desde o início do ano. O motivo é o atraso no repasse dos recursos do Programa “Minha Casa, Minha Vida”, do Governo Federal. Caso o dinheiro não seja liberado, mais quatro mil trabalhadores podem perder o emprego, com a paralisação de mais duas mil unidades.

A avaliação é do presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil de João Pessoa (Sinduscon-JP), José William Montenegro. A crise que afeta a construção civil causada pela interrupção dos repasses do “Minha Casa, Minha Vida” ameaça diretamente os empregos de sete mil trabalhadores.

A Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic) informou que as empresas contratadas para executar o “Minha Casa, Minha Vida” estão enfrentando atraso superiores a 90 dias, como algumas construtoras que assinaram os contratos em novembro e dezembro do ano passado.

Sem receber os repasses, as empresas alertaram o Ministério do Desenvolvimento Regional, responsável pelo programa do Governo Federal, da situação. Como o problema persiste, as construtoras tiveram que paralisar obras e demitir trabalhadores.

A situação do “Minha Casa, Minha Vida” na Paraíba se repete no restante do País. Segundo a Câmara Brasileira da Indústria da Construção, muitas empresas pelo Brasil estão sem fôlego, pois não têm caixa para bancar as obras e muitas enfrentam dificuldades para renegociar seus débitos com as instituições financeiras.

De acordo com a previsão orçamentária do Governo Federal, o Ministério conta com R$ 4,45 bilhões para executar o programa ao longo do ano. Até março deveriam ter sido liberados R$ 1,19 bilhão, no entanto, apenas R$ 751 milhões foram disponibilizados.

A Cbic pede o repasse dos recursos previstos no orçamento para o “Minha Casa, Minha Vida”; a liberação dos recursos do Ministério Desenvolvimento Regional proporcional ao que está previsto no orçamento; e solução para continuidade das obras contratadas em 2018 e sem pagamento até esta quarta-feira (10).

O programa habitacional “Minha Casa, Minha Vida” completou 10 anos de criação em março deste ano.

Programa na PB. Desde 2009, o programa contratou mais de 5,5 milhões de unidades habitacionais em todo o país, das quais, 134,2 mil foram na Paraíba.

Relacionadas