sábado, 23 de fevereiro de 2019
Inclusão
Compartilhar:

Projeto prevê praça 100% inclusiva em João Pessoa

Redação / 18 de julho de 2018
Foto: Reprodução
O bairro dos Bancários, na zona Sul de João Pessoa, ganhará uma nova praça com equipamentos e brinquedos totalmente acessíveis para pessoas com deficiência e idosos. A assinatura da ordem de serviço foi feita na manhã de nessa terça-feira (17), pelo prefeito Luciano Cartaxo, que prometeu entregar o espaço ainda este ano.

A Praça Inclusiva, como é chamada, fica em frente à Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), e está orçada em R$ 378.568,69. Conforme o projeto apresentado pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), o espaço terá sete vagas de estacionamento exclusivo para cadeirantes ou pessoas com mobilidade reduzida, além de brinquedos projetados também especialmente para atender a esse público.

A praça contará com Academia para Cadeirantes, piso tátil, além de corrimões e rampas para garantir a segurança e acessibilidade das pessoas com deficiência, idosos e outros usuários com mobilidade reduzida.

O local contará ainda com uma Academia da Terceira Idade, além de espaços como playground, caixa de areia, mesas para jogos e espaço para eventos.

“Recebi uma comissão da Apae que falava do terreno em frente à instituição e alguns pediam apenas uma calçada para facilitar a chegada dos cadeirantes e, outros, uma praça. Nós nos comprometemos a ver o que poderia ser feito e hoje estamos tendo a alegria de dar ordem de serviço para esta praça totalmente acessível que vai resolver esta demanda histórica de pais e mães”, afirmou o prefeito Luciano Cartaxo.

A fisioterapeuta da Apae, Cacilda Virgínia, falou em nome da instituição. “Hoje é um dia de grande festa. Esta praça foi sonhada, desejada, e a gente tem que agradecer este apoio da Prefeitura e do Orçamento Participativo. E a instituição fará um grande e bom uso desta praça”, comentou. Os pais dos freqüentadores da Apae também estão ansiosos pelo novo espaço. “A gente nunca deve deixar de sonhar e esta praça é a realização de um sonho”, afirmou Maria Almeida, que tem uma filha com deficiência.

 

Relacionadas