domingo, 19 de novembro de 2017
Inclusão
Compartilhar:

Esgrima: crianças e portadores de necessidades especiais com chance no esporte

Raniery Soares / 25 de outubro de 2015
Foto: Raniery Soares
Sempre que se fala em esportes, logo a nossa mente constrói imagens de um estádio de futebol vibrante, ou de uma grande conquista em outras modalidades. Mas, quem imaginaria uma cena com crianças praticando esgrima em Arara, cidade localizada no Curimataú paraibano e distantes 155km da Capital? Pois existe sim, graças a um ex-técnico da seleção brasileira juvenil, que deixou São Paulo e há cinco meses iniciou a ‘saga’ de implantar o esporte no Estado.

Cláudio Gonçalves dos Santos, ou Claudinho da Esgrima como é conhecido na modalidade é ex-atleta e quando partiu para revelar novos esgrimistas, acabou tendo alunos disputando campeonatos sul-americanos, pan-americanos, além de ter sido técnico do Brasil na Olimpíada de Barcelona, em 1992. Paulistano de nascimento, mas com raízes no sítio Boca de Tanque, na zona rural de Arara, ele sonhou com um dia implantar a cultura da esgrima no Nordeste, começando especificamente pela terra natal do seu pai.

Tudo começou após a sua esposa, Cintia Baratera (que também é paulistana) ver que um grupo de crianças sempre brincava na frente da casa onde moram. Ainda sem nunca terem visto o esporte, Claudinho resolveu usar a pequena garagem de casa para iniciar o projeto com um grupo de 12 alunos, formado essencialmente por crianças carentes e pessoas com deficiência.

Mesmo já tendo sido professor do Clube Pinheiros, um dos maiores do Brasil e utilizando equipamentos oficiais para ensinar o esporte aos garotos, Claudinho tem lutado por um espaço adequado para realizar os treinos. Em todas as portas que bateu na cidade de Arara, nenhuma foi aberta para receber o professor.

“É difícil, mas a nossa força de vontade supera estas dificuldades. Estamos pedindo um apoio para que possam nos fornecer um lugar adequado e ainda sensibilizamos os empresários para que invistam em um projeto como este. O esporte é, sem dúvida, o caminho que livra muitas crianças do caminho das drogas”, frisou.

Relacionadas