segunda, 08 de março de 2021

Cidades
Compartilhar:

Homens que trabalham abrindo e fechando cancela de trens estão sem cabine em Santa Rita

Aline Martins / 04 de julho de 2017
Foto: Reprodução
No dia 31 de março deste ano, a Prefeitura Municipal de Santa Rita, na Região Metropolitana de João Pessoa, instalou duas cancelas, no distrito de Várzea Nova, no trecho onde aconteceu o acidente entre um trem e um ônibus, em fevereiro do ano passado que deixou cinco mortos e vários feridos. No entanto, até agora, nenhuma cabine de apoio para os agentes que trabalham no local foi colocada, apesar de que, na época da entrega, a gestão havia garantido a instalação do equipamento em poucos dias.

Como não tem um ponto fixo de apoio, os dois funcionários que trabalham por turno, num total de quatro, precisam se proteger da chuva e do Sol embaixo de árvores da praça ou em uma parada de ônibus, que fica nas proximidades. Ontem, dia chuvoso, os pertences pessoais como capas de chuva e garrafa térmica de água estavam em cima de um banco da praça.

Como preferiram não falar, a reportagem conversou com a população que passa pelo local para saber a opinião. “Acho que deveria ter sim uma cabine porque esse pessoal fica em pé o dia todinho e não tem um local certo para ficar”, afirmou o aposentado José Ferreira de Lima, 75 anos.

Também sobre essa situação, o aposentado Orlando Marcelino, 45 anos, falou que o serviço foi feito pela metade. Embora tenha melhorado a segurança no local, ele não acredita na confiabilidade de não ter nenhum acidente na área. “Ficou muito bom, mas não acredito em 100%, acho que estou 90% seguro porque tudo pode acontecer e aquele acidente ficou na lembrança. Já sobre o pessoal, seria bom que se tivesse um local para eles ficarem porque nesses dias de chuva é complicado”, comentou.

O diretor do Departamento Municipal de Trânsito, Marinaldo da Silva Santos, disse que na Paraíba não há uma empresa que faça cabines. “A gente pesquisou e conseguiu uma. Licitamos e fizemos até o pagamento. Antes do dia 20 deste mês ela vai ser colocada”, disse. Questionado sobre a implantação de um semáforo no trecho, o diretor do DTTrans informou que já encaminhou ofício ao DER, porque é um trecho de competência estadual.

Relacionadas