quinta, 28 de janeiro de 2021

Habitação
Compartilhar:

Sorteio de moradias do Complexo Aluízio Campos será realizado no próximo dia 31

Wênia Bandeira / 24 de janeiro de 2018
Foto: Chico Martins
O sorteio para o complexo habitacional Aluízio Campos, em Campina Grande, será realizado próximo dia 31, no Parque do Povo, segundo anúncio feito pelo prefeito Romero Rodrigues nessa terça-feira (23) em entrevista coletiva realizada no auditório do Instituto de Previdência do Servidor Municipal (IPSEM). Estão concorrendo as 4.100 casas, 11.611 inscritos que passarão por diversos critérios que determinarão a concorrência.

As residências ainda não têm data definida para serem entregues, mas o prefeito afirmou que tudo está em fase de conclusão. “Está sendo feita a terraplanagem da última rua que falta, que é a rua principal que dá acesso a BR 230. As creches, a escola, o posto de saúde, tudo está em fase de acabamento”, explicou.

De acordo com ele, mesmo após o sorteio, não será possível determinar uma data para entrega aos novos proprietários. Romero falou que a burocracia que envolve o processo é o causador do problema. “Não podemos dimensionar o tempo porque a relação de sorteados será encaminhada para o Banco do Brasil, que vai analisar nome a nome, cadastro a cadastro, então demora um pouco. E depois ainda poderá haver alguma alteração”, disse. Mas ele garantiu que a entrega será integral. Todo o processo está sendo acompanhado pelo MPF. O prefeito afirmou que, por ter muita atenção voltada para o Aluizio Campos, devido ao tamanho do complexo habitacional, o sorteio está sendo pensado em detalhes.

O sorteio

Cada pessoa receberá um número de identificação que será conhecido apenas pelos computadores. O sorteio será feito pela numeração e o computador transformará o número em nome, isto para impossibilitar a identificação dos concorrentes. O sorteio será feito no Parque do Povo e também na sede do MPF. A prefeitura e o Ministério Público terão senhas distintas e o acesso ao processo de seleção poderá ser realizado apenas com as duas senhas introduzidas. “Nós faremos um sorteio em nosso computador com a mesma senha que será gerada no dia e o objetivo é observar se os resultados serão os mesmos. Se houver divergência no resultado é porque houve alguma falha. O objetivo é que as pessoas sejam sorteadas de acordo com os critérios do sorteio, sem nenhum tipo de benefício ou preterição, sem que possa dar margem a insinuações de que tal pessoa possa ter sido favorecida”, explicou o procurador do MPF, Bruno Barros.

Caso haja alguma irregularidade, a escolha poderá ser anulada. São cinco critérios pré-determinados e quem tiver mais critérios terá mais chance de ser sorteado. Estes critérios vão desde pessoa com medida protetiva até portador de doença crônica e quem não for sorteado passará para a fase seguinte com as mesmas possibilidades. Pessoas com deficiência e idosos terão 6% das casas reservadas a cada grupo e concorrerão também nos critérios.

Relacionadas