domingo, 29 de novembro de 2020

Cidades
Compartilhar:

Fraude sem freio: saiba como funcionava o esquema de falsificação no Detran

Júlio Silva/Lucilene Meireles / 08 de janeiro de 2016
Foto: Divulgação
Seis pessoas foram presas na madrugada de ontem numa operação da Polícia Civil para combater roubos e furtos de veículos. Entre os envolvidos há quatro servidores concursados do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e da Companhia de Processamento de Dados do Estado (Codata).

A polícia está investigando a emissão de documentos de 35 veículos, cujos processos passaram pelo grupo e tramitaram em tempo recorde no órgão de trânsito. O objetivo é saber que vantagens que os acusados obtinham no processo e se os veículos eram roubados e estavam sendo ‘legalizados’, com o processo de transferência de posse.

A operação começou por volta das 4h. Os mandados de prisão foram cumpridos em pelo menos cinco locais de João Pessoa (nos bairros do Bessa e Bancários) e em Santa Rita, onde funciona o cartório que fornecia carimbos para autenticar os documentos.

Os presos foram levados para o Instituto de Polícia Científica (IPC), no bairro do Cristo Redentor, submetidos a exames e levados para a Central de Polícia, no bairro Ernesto Geisel e foram ouvidos na tarde de ontem.

O corregedor do Detran, Valberto Lira, explicou que a investigação foi iniciada com a prisão de Alexandre Batista, acusado de roubar um carro da tia, há quatro meses. A polícia descobriu que ele tinha transferido um veículo para seu nome em 2013, falsificando a assinatura do proprietário, que havia morrido em 2012. “Ele era corretor de automóveis e usou da boa fé da viúva que lhe entregou o carro, em troca de um pequeno sinal, para revendê-lo. O acusado não quitou o veículo e sumiu com ele. A esposa de Alexandre, que era funcionária do Detran na época, tirou a segunda via do documento do carro e o transferiu para o nome do marido”, explicou. A viúva prestou queixa do roubo na polícia, mas não tinha o nome e nenhum documento do corretor.

O Esquema



  • Corretor de automóveis 




Acusado de negociar a compra dos carros e ficar com os veículos sem realizar o pagamento aos seus proprietários.



  • Funcionário de cartório




Ajudava a falsificar documentos com reconhecimento de firma. Em sua casa foram encontrados selos e carimbos.



  • Servidores do Detran e Codata




Se revezavam na tramitação do processo e emissão de documentos para trânsito legal dos veículos, que podiam ser vendidos a outras pessoas.

 

Relacionadas