quarta, 17 de outubro de 2018
Carnaval
Compartilhar:

Folia de Rua tem Virgens de Tambaú neste domingo; Márcia Felippe é uma das atrações

Aline Martins / 04 de fevereiro de 2018
Foto: NALVA FIGUEIREDO
“Pintou as Virgens de Tambaú/ Fogosas, loucas, desinibidas/ Mijam de coca feito um cururu/ Que bonecas atrevidas...”. Abram alas, que as Virgens de Tambaú, chegam para mais um ano desfile na Via Folia, a Avenida Epitácio Pessoa. São 31 anos de história e este ano o tema é a Cultura Criativa em homenagem ao título recebido pela capital paraibana de “cidade criativa para as Artes e Cultura Popular”, dado pela Organização das Nações Unidas (ONU) que incluiu três cidades brasileiras entre as mais criativas. Nove trios elétricos com diversas atrações do axé, frevo, samba, rock e swingueira passarão pela avenida. Uma das atrações principais é a cantora Márcia Fellipe. São esperadas 400 mil pessoas.

O presidente das Virgens de Tambaú, Euclides Menezes, explicou que o tema deste ano tem por objetivo mostrar os ritmos musicais em destaques não apenas em João Pessoa, mas em todo o País. “Nessa Cultura Criativa nós vamos trazer em ritmo de música. Cada trio elétrico trará um ritmo diferente: axé, frevo, rock, swing, batidão, entre outros que estão em evidência. Será um mix musical”, afirmou, destacando que após a saída do primeiro trio, a cada vinte minutos ou meia-hora sai outro em seguida. Ele lembrou ainda que aqueles que estiverem nos camarotes serão também animados pelas músicas da DJ Dani Lima, que animar o público.

Já no palco praia, Menezes informou que existe há 15 anos. “Como as pessoas chegavam cedo à orla para participar dos desfiles, eles ficavam esperando até o primeiro trio chegar e isso só acontecia à noite. Então decidimos colocar um palco com atrações na praia”, explicou, destacando que os artistas musicais do palco praia começam suas apresentações antes do desfile do primeiro trio já para animar o público que fica no Busto de Tamandaré. Quando o primeiro trio chega, os músicos do trio e do palco fazem um dueto, mostrando a convergência de culturas.

O começo. Euclides explicou que bloco das Virgens de Tambaú foi criado em homenagem as Virgens de Olinda. “Todos os anos nós íamos para lá para participar. Só que chegávamos tarde e cansados. Foi aí que, um ano após a criação das Muriçocas, decidimos eu e algumas pessoas que faziam universidade criar um bloco. Tínhamos visto o sucesso do Muriçocas. Saímos no primeiro ano com umas 30 pessoas. No meio do caminho vieram outras e teve um total de 100. Eu tinha um Chevette velho e coloquei um auto falante para sair pelas ruas. O fio estourou umas seis vezes. O carro parou e tivemos que empurrar durante todo o percurso”, relatou. No ano seguinte já foi um veículo diferente, um veraneio e aumentava o público.

No terceiro ano, o presidente do bloco comentou que coincidiu com a inauguração de um shopping no bairro de Miramar e que o proprietário cedeu um trio elétrico para o desfile. Foi nesse momento que bloco Virgens de Tambaú alterou novamente o percurso, passando pelo Retão de Manaíra para depois ir para Tambaú. “A gente andou tanto nesse ano que ficamos cansados, mas foi muito bom”, revelou. Euclides contou ainda que em um dos anos, a concentração ocorreu na Praça de Iemanjá, no bairro do Cabo Branco. “Foram vários percursos até se consagrar a Avenida Epitácio Pessoa, que é a Via Folia, onde desfilam outros grandes blocos”, frisou.

Relacionadas