quinta, 26 de novembro de 2020

Cidades
Compartilhar:

Famílias afetadas pela chuva saem do perigo

Redação / 21 de junho de 2019
Foto: Assuero Lima
Do alto de seus 76 anos e há mais de duas décadas vivendo no Bairro São José, em João Pessoa, a aposentada Paulina Fidélis de Sousa se despediu ontem da casa que ocupou nos últimos oito anos. A barreira, ao lado da construção que abrigava a idosa e um neto, deslizou com as últimas chuvas e poderia desabar a qualquer momento sobre as paredes. Não havia outra forma de preservar a vida dos dois senão a retirada do local e a demolição do imóvel, o último de seis que foram demolidos na comunidade.

“Minha casa é muito perto da barreira e eu sempre quis sair daqui, porque sei como é perigoso, principalmente quando chove. Com as chuvas que caíram esses dias, a barreira começou a descer para o lado de cá e a gente estava passando a noite em claro com tanto medo. Agora, estou indo embora e vou poder dormir tranquila”, declarou a idosa.

No mesmo bairro, a aposentada Expedita Soares da Silva, de 72 anos, afirmou que a preocupação é constante. Com as últimas chuvas, a água do Rio Jaguaribe subiu, alagando a via principal e invadindo casas. “Moro aqui há 40 anos e essa foi a chuva mais forte que já vi. Na minha casa, a água entrou até o terraço e faltou pouco para entrar na sala. Mesmo assim, na parte de trás, perdi roupa, um colchão novo e a feirinha que tinha feito”, lamentou. Segundo ela, há uma praga de ratos no bairro.

Em casa. Não há mais famílias desalojadas na Capital. Todas já foram encaminhadas às suas casas.

Trabalho no São José



A conhecida Rua do Rio, localizada no bairro São José, foi condenada por inteiro pela Defesa Civil de João Pessoa. “A Prefeitura já fez a primeira etapa, retirando 280 famílias. A próxima etapa prevê a retirada de cerca de 90 famílias do local, que fica por trás do shopping. Vamos diminuir o sofrimento delas e, com a retirada, será mais fácil fazer a limpeza do rio”, declarou o coordenador da Defesa Civil do Município, Noé Estrela. “Hoje, a única ação mais enérgica, com mais urgência, é no bairro São José. Mesmo assim, finalizamos as visitas das residências. Fizemos o balanço total das famílias e só na última quarta-feira, dia 19, realizamos quatro demolições.

A última foi ontem”, contabilizou.

 

 

Relacionadas