quinta, 26 de novembro de 2020

Estatísticas
Compartilhar:

Evolução só na teoria: mulher ainda trabalha mais e ganha menos que o homem na Paraíba

Nice Almeida / 04 de dezembro de 2015
Foto: Ilustração
Dez anos se passaram, mas a mulher ainda é tratada com desigualdade na Paraíba. A realidade cruel do tratamento diferenciado que separa gêneros e os divide entre seres superiores ou inferiores está refletida no mercado de trabalho e foi estampada na cara da sociedade nesta sexta-feira (04) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na Síntese de Indicadores Sociais (SIS): uma análise das condições de vida da população brasileira 2015.

A pesquisa, que sintetiza um conjunto de informações sobre a realidade social do país nos últimos dez anos (2004-2014), revela que as mulheres continuam com uma jornada total de trabalho superior a dos homens, porém com um salário bem abaixo.

Basta uma matemática simples e vem a comprovação. Quando somadas as horas trabalhadas no emprego principal e nas tarefas domésticas, a mulher totaliza 55,3 horas trabalhadas na semana contra 49 dos homens, ou seja, uma carga de 7,8 horas a mais de jornada de trabalho. Os números se diferenciam em quase nada quando comparados ao ano de 2004 quando a mulher tinha uma jornada semanal total de 55,7 e o homem de 47,9.

E, apesar de terem se tornado independentes e estarem presentes no mercado de trabalho, a mulher ainda gasta mais tempo nos afazeres domésticos que os homens. Segundo o IBGE, enquanto o homem ocupa 9,4 horas do seu tempo de trabalho com tarefas domésticas, a mulher alcança a média de 24,1 horas. Duas vezes e meia mais que os homens. Com relação ao trabalho principal o homem está ocupado por 40,1 horas semanais e as mulheres 31,8.

Mulheres ganham menos

Embora tenham uma jornada total de trabalho superior a dos homens, as mulheres ainda são menos remuneradas que eles. Em 2014, a renda média do paraibano era de R$ 1.120 e os homens ultrapassaram essa média alcançando salários de até R$ 1.217. Resultado bem diferente das mulheres que atingiram a média de R$ 976.

E elas ficam atrás em todas as categorias trabalhistas. Quando se trata de emprego formal a média salarial masculina era de R$ 1.572, enquanto a feminina era de R$ 1.421. Já com relação ao trabalho informal o rendimento médio era de R$ 923 para os homens e de R$ 631 para as mulheres.

Em 2014...

Eram  1.784 milhão de paraibanos com 16 anos ou mais de idade ocupados. Desse total, 1.030 milhão eram homens e 754 mil, mulheres.

Relacionadas