terça, 25 de junho de 2019
Enem
Compartilhar:

Enem: saiba como contornar o famoso “branco” na hora das provas do Exame

Maurílio Júnior / 19 de outubro de 2015
Foto: Arquivo
Falta muito pouco para o Enem. A menos de uma semana da prova, os alunos estão em contagem regressiva. Para os que se prepararam durante o ano, a ansiedade é o principal obstáculo a partir de então. Controlá-la é o segredo para não sofrer com o temido “branco” no exame. Se você já passou por isso, sabe bem como funciona: lê a questão uma vez, duas vezes. Pega a caneta para começar a responder, mas, trava.

“O bom desempenho no Enem está, óbvio, ligado à disciplina, mas também ao descanso, a boa alimentação e ao lazer. Muitos insistem em abrir o livro horas antes da prova, o que ao invés de ajudar, prejudica. A recomendação é relaxar até para não dá margens para o tal branco”, assegura o psicólogo do Colégio Lyceu Paraibano, Bartolomeu Pontes.

Se o “branco” persistir em aparecer na hora da prova, o importante é saber contornar, conforme sugere Bartolomeu. “O branco não é definitivo. É natural que se tenha dificuldade em uma ou outra questão, portanto, pule. Inicie pelas quais tenha maior afinidade. Não adianta querer lembrar na hora, porque só vai dificultar”, disse Pontes.

Outro cuidado ressaltado pelo psicólogo é a autoconfiança. Tanto ajuda, quanto pode comprometer o sucesso na prova.

“Muitos que estudam, dominam o assunto, acabam não tendo a devida atenção no momento de identificar uma vírgula, uma pontuação, o que provoca uma transformação no sentido de interpretar de um texto”, alerta.

“A autoconfiança é importante quando o aluno coloca dentro de si que pode fazer uma prova, uma boa redação e desta forma passar”, acrescentou.

Quando questionado se o aluno da rede pública larga em desvantagem com relação a um candidato da rede privada, Bartolomeu acredita que há um distanciamento, mas ressalva. “Há uma ligeira diferença em razão do aluno da escola particular iniciar mais cedo o ano letivo e não correr o risco de uma paralisação, o que costumeiramente acontece na rede pública”, disse.

Relacionadas