quinta, 21 de janeiro de 2021

Cidades
Compartilhar:

Em oito meses : João Pessoa terá ‘rua completa’

Lucilene Meireles com Assessoria / 07 de maio de 2017
Foto: Rafael Passos
Em oito meses, João Pessoa e outras 10 cidades brasileiras vão ganhar pelo menos uma rua mais atrativa e segura do ponto de vista da mobilidade, com estímulo para o transporte a pé e de bicicleta, incentivando a mobilidade ativa e reduzindo emissões de carbono. Na Capital paraibana, ainda não há definição de qual rua será beneficiada, mas a maior probabilidade é de que seja no Centro. A Visconde de Pelotas está cotada.

O assunto, segundo o superintendente de Mobilidade Urbana (Semob), Carlos Batinga, foi discutido com o prefeito Luciano Cartaxo, mas ainda está em debate a rua a ser priorizada. Ele declarou que, mais adiante, a intenção é ampliar a participação do Estado, convidando pelo menos 30 municípios, entre eles, os da Região Metropolitana, para formar equipes, conscientizar e tentar melhorar as cidades.

“A rua completa tem por base ampliar, preservar, humanizar e melhorar a circulação prioritariamente do pedestre e, onde for possível, também de transporte coletivo. Nós já estamos fazendo algo bem próximo do conceito de rua completa na Beira Rio”, observou. Sobre o projeto Ruas Completas, Batinga estima que deve haver um resultado em, no máximo, oito meses. “Fiquei impressionado com a iniciativa que poderá se estender para outras vias futuramente”, disse.

Ele acrescentou que será ampliado o espaço para o pedestre e a mudança vai desde a fachada do comércio, passeios, urbanização, iluminação e as áreas de convivência, com bancos para a população. “Ao fazer a rua completa, tem que atender a legislação no que se refere a acessibilidade e regras de mobilidade”, observou.

Uma das propostas é que as fachadas dos comércios sejam transparentes para permitir que quem estiver fora ou dentro veja o outro lado.

“Isso dá uma sensação de ampliação e segurança. É um projeto pensado, estudado e já tem em 50 países que aderiram e estão implantando, como Inglaterra, França, Suíça, Estados Unidos”, completou. A WRI Brasil informou que ainda não há informações sobre quem vai coordenar o projeto por aqui.

Foco em pedestres e ciclistas

De acordo com a WRI Brasil, após firmada a parceria com os municípios, cada cidade receberá um formulário informando o que quer fazer e indicando a rua a ser incluída na iniciativa. A proposta deve priorizar pedestres e ciclistas.

O projeto será feito pelos técnicos de cada prefeitura com o suporte técnico da WRI e as reuniões e oficinas de capacitação serão iniciadas na primeira semana de junho.

“A parceria representa as novas iniciativas que vêm tomando forma no Brasil para qualificar as nossas cidades. Que o projeto apresentado venha para transformar a mobilidade e dar força à revolução urbana que vemos em todo o mundo”, comentou Marcio Lacerda, presidente da FNP.

O principal objetivo do projeto Ruas Completas é mostrar que as vias podem ser mais atrativas a pedestres e ciclistas. A Rede Nacional para a Mobilidade de Baixo Carbono – Ruas Completas, lançada recentemente, durante o IV Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável, em Brasília, vai promover o desenvolvimento de ruas com espaços compartilhados entre pedestres, ciclistas, usuários do transporte coletivo e motoristas, que sejam mais agradáveis e seguros para todos.

“O modelo de rua completa varia conforme a via – pode ou não haver um corredor de ônibus ou a instalação de ciclovias. O que sempre tem de estar presente em uma rua completa é a priorização dos pedestres. Três elementos são essenciais para isso: o espaço precisa ser confortável, seguro e interessante para as pessoas que caminham”, explicou Paula Santos, coordenadora de Mobilidade Urbana e Acessibilidade do WRI Brasil.

Melhora na qualidade de vida

Além dos benefícios ambientais da redução do uso do carro, a qualidade de vida de quem caminha é sempre melhor. Estudos científicos mostram que caminhadas diárias e regulares diminuem em 20% o risco de diabetes tipo 2, AVC e doença coronária. As ruas completas, de acordo com a WRI, também promovem um ambiente mais seguro para todos, por estabelecerem velocidades mais baixas, de até 30km/h no espaço, o que diminui os riscos de acidentes graves e mortes.

As Ruas Completas visam ao desenvolvimento urbano orientado para a mobilidade de baixo carbono, construindo cidades e espaços urbanos que priorizem os deslocamentos a pé e de bicicleta, que não emitem gases de efeito estufa. Não existe um modelo de Rua Completa ideal: cada uma evolui a partir de uma série de fatores locais que influenciam o desenho final, como tipos de usuários, uso do solo existente e planejado, desejos da comunidade e orçamento disponível.

“Para que o Brasil possa contribuir com sua parte na redução de emissões, precisamos apoiar os tomadores de decisão de cidades, como prefeitos e secretários municipais, na implementação e promoção de programas e infraestruturas de mobilidade urbana, com ênfase no transporte ativo”, ressaltou Paula Santos.

Sobre o WRI Brasil. O WRI Brasil é uma organização sem fins lucrativos, focada em pesquisa e aplicação de metodologias, estratégias e ferramentas voltadas às áreas de clima, florestas e cidades. A instituição faz parte do World Resources Institute (WRI), organização global de pesquisa, presente em mais de 50 países, com escritórios no Brasil, China, Estados Unidos, México, Índia, Indonésia, Europa e África.

Leia Mais

Relacionadas