quarta, 25 de novembro de 2020

Educação
Compartilhar:

Trabalhadores da educação temem eleição sem reajuste salarial

Edson Verber / 09 de março de 2016
Foto: Arquivo
Mais de oito mil trabalhadores em Educação de João Pessoa realizam assembleia geral, hoje, para definir formas de ações para conseguir cumprir a pauta de reivindicações a ser apresentada ao prefeito Luciano Cartaxo.

A data-base da categoria é janeiro e não houve diálogo entre sindicato e prefeitura para negociar. A preocupação do presidente do do Sindicato dos Trabalhadores em Educação, Daniel de Assis, é a vedação da lei eleitoral de concessão de reajuste após o dia 31 de março. “Já havíamos nos reunimos com os secretários de Educação, Finanças e Administração antes do Carnaval, mas não apresentaram propostas”, disse.

Reivindicações

Piso de R$ 1.334,77 para o professor prestador de serviço polivalente, e pagamento de R$ 1.668,99 para o professor prestador de serviço de disciplina.

Reajuste de 10,67% para os funcionários da educação e reajuste na gratificação dos diretores de escolas e CREIs, secretários escolares, merendeiras e auxiliares de serviço.

Gratificação de 30% do vencimento para professores e especialistas que trabalham na SEDEC e CECAPRO.

Leia mais no Jornal Correio da Paraíba.

 

Relacionadas