quinta, 25 de fevereiro de 2021

Educação
Compartilhar:

‘Terceirização’ da educação não deve interferir na contratação de servidores, alega secretário

Gabriel Botto / 12 de julho de 2017
Foto: Nice Almeida
O secretário de Educação do Estado, Aléssio Trindade, esclareceu que as mudanças na gestão educacional não se tratam de terceirização. Ele alegou que a gestão pactuada não mudará processos básicos que acontecem atualmente, como contratação de professores por meio de concurso público. Veja o vídeo e comente no fim da matéria.

“O projeto nosso é fazer a escola pública ser boa, então tem várias ações. Não tem nada a ver com terceirização de escola, a gestão é pública e ela controla a escola, o professor é público e ele está sob controle da gestão da escola, que será executada por uma Organização Social”, disse o secretário de educação do estado, Aléssio Trindade.

Aléssio explicou que o pacto de organização social virá para tirar dos diretores o papel de administrador, para, segundo ele, deixar o diretor com o papel exclusivamente pedagógico, profissionalizando os processos administrativos das escolas.

“A Organização Social fará o papel administrativo da escola, que hoje é executado, mas sob muitas queixas, pelos diretores”, relatou Aléssio Trindade.

“Os professores se queixam que fazem papéis administrativos como licitações etc, que às vezes não sabem realizar e com a gestão da OS na escola, esses papéis não serão mais feitos pelo diretor, que terá a caneta na mão pra avaliar essa gestão dessa organização”, destacou Aléssio Trindade.

“Não é novidade, aqui tivemos o hospital de trauma que melhorou 100% depois que a Cruz Vermelha passou a administrar, da mesma forma acontecerá com as escolas do estado. A Paraíba não é só o estado das estradas, das adutoras, das águas. A Paraíba também é o estado da educação”, finalizou Aléssio Trindade, Secretário de Estado da Educação.


Relacionadas