sexta, 26 de fevereiro de 2021

Educação
Compartilhar:

Sindicato critica privatização da Educação na Paraíba e pede ajuda do Legislativo

Redação / 12 de julho de 2017
Foto: Divulgação/Sintep
O Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação da Paraíba (Sintep-PB) divulgou nesta quarta-feira (12) que é contra a privatização da educação estadual, conforme lançado pelo governo do Estado e divulgado pelo CORREIO. Comente no fim da matéria.

"O Sintep-PB é contra a entrega de 652 unidades escolares para a gestão pactuada do governo do Estado. Uma audiência com o governo do Estado já foi solicitada, e o Setor Jurídico da entidade já foi acionado, no intuito de tomar atitudes legais contra a medida. Aproveitamos esta oportunidade para solicitar a intervenção do Poder Legislativo do Estado da Paraíba, para que se posicione contra a terceirização da Educação do Estado", divulgou o sindicato.

A categoria está convocando os trabalhadores em educação do Estado para participar da assembleia geral que será realizada no dia 21 de julho, às 14h, na sede do Sintep-PB, em João Pessoa. "O objetivo é trazer esclarecimentos para a categoria, assim como deliberar ações contra a desastrosa medida do Governo da Paraíba", informou.

Entenda

O governo do Estado lançou um edital, por meio da Secretaria de Educação, para realização de processo seletivo objetivando a terceirização dos serviços nas escolas da rede estadual de ensino. A intenção é transferir a administração e gestão da Educação do Estado para uma Organização Social selecionada através do Edital Nº 001/2017/SEAD/SEE, publicado no Diário Oficial do Estado do último sábado (1º).

"A publicação dá início ao processo seletivo, e seu objeto já manifesta a realização de 'Seleção de Organização Social qualificada na área de Educação, no âmbito do Estado da Paraíba, para celebração de contrato de gestão, visando a gestão pactuada das ações e serviços de apoio escolar em unidades escolares da Secretaria de Estado da Educação'", explicou o Sintep-PB.

Como poderá ficar

No desempenho da atividades, a Organização Social selecionada deverá agir na atuação do Suporte à Educação Inclusiva, Suporte Pedagógico, Acompanhamento Pedagógico ao Aluno, Suporte ao Professor, Gestão dos Espaços Pedagógicos, Suporte de Secretariado, Gestão de Estoque, Suporte de Tecnologia da Informação (TI), Alimentação, Limpeza, Segurança, Manutenção, Gestão de Recursos Humanos, Prestação de Contas e Gestão Financeira.

O prazo de vigência do contrato de gestão será de 24 meses, podendo ser prorrogado por iguais e sucessivos períodos até o limite de 60 meses, desde que confirmada a disponibilidade orçamentária e a consecução dos objetivos propostos pela Organização Social. A atuação da denominada Gestão Pactuada tem início previsto para o mês de Agosto, do ano corrente.

Relacionadas