sábado, 20 de julho de 2019
Educação
Compartilhar:

Professor Trindade: Três gerações de leitores, numa só família

Redação / 23 de junho de 2019
O colunismo em jornal traz momentos agradáveis e desagradáveis; é aquele vizinho que não gostou de uma referência com a qual se identifica; ou, em plano inverso, aquela pessoa que adorou uma coluna sua e ainda exclama:

- Aquilo é a minha cara!...

Felizmente, os momentos agradáveis superam – e muito – os desagradáveis. Inúmeros são os leitores que encontro e dizem que amam a coluna; há até aqueles que dizem que recortam todas elas (agora não podem mais recortar, já que estou apenas no “on line”; mas arquivam). Há uns dois meses, encontrei um, chamado Ademar (só me disse o prenome), na entrada do Shopping Sebrae. Parou-me e fez questão de dizer que era “louco” para me conhecer pessoalmente e que tinha todas as minhas colunas do Correio (as do impresso) recortadas. Outro me mandou mensagem, pelo Facebook, agradecendo pelo fato de haver feito um trabalho escolar graças ao meu texto daquela semana.

Quinta passada, porém, minha alegria se superou e me deixou deveras e profundamente emocionado:

Lucas Moura, de 11 anos, aluno do 6º ano de uma escola particular de João pessoa, pede-me que escreva uma coluna sobre tempos verbais, para servir como fonte de consulta a um trabalho que fará na escola. Estava acompanhado do pai, Luciano Silva, amigo de longas datas; também ex-aluno; tanto no ensino médio quanto na universidade.

Mas a surpresa não parou por aí:

Luciano disse que aprendeu a gostar de meus textos com o pai, Manuel José da Silva (Manuca), auditor fiscal, falecido em 2007, que segundo meu amigo, colecionava todas as minhas colunas publicadas no extinto jornal O Norte e que o filho (de Luciano), Lucas, seguira o mesmo caminho, sendo leitor e fã dos meus textos.

Cumprindo a promessa e, ao mesmo tempo, em homenagem às três gerações de leitores (da mesma família), que me honram com a leitura e assiduidade, segue o texto a seguir, cujo tema é o sugerido pelo garoto Lucas, acrescido de “modos verbais”; assunto correlato:

 

TEMPOS E MODOS VERBAIS

 

PRESENTE - Usa-se em referência a fatos que se passam NO MOMENTO EM QUE FALAMOS.

Ex.: “Eu canto, porque o instante existe”.

 

PRETÉRITO (PASSADO) - Usa-se em referência a fatos que JÁ ACONTECERAM. Divide-se em:



  1. a) perfeito: indica uma ação que começa e termina no passado, sem interrupção.




Ex.: Ontem, ela cantou bem.



  1. b) imperfeito: indica uma ação do passado que, por algum motivo, não foi concluída.




Ex.: Eu cantava, quando ela chegou e interrompeu.



  1. c) mais-que-perfeito: indica uma ação que começa e termina no passado, mas que acontece antes de OUTRA AÇÃO TAMBÉM CONCLUÍDA NO PASSADO.




Ex.: Eu já fizera o trabalho, quando ela se dispôs a ajudar.

 

FUTURO – Ação que vai acontecer. O FUTURO divide-se em:



  1. a) futuro do presente: indica um fato que acontecerá DEPOIS do momento em que falamos.




Ex.: Ela viajará amanhã cedo.



  1. b) futuro do pretérito: indica uma ação futura, em relação a um fato no passado.




Ex.: Ele disse que chegaria ontem.

 

MODOS DO VEBRO

Modos são as diversas formas que o verbo toma para expressar a atitude da pessoa em relação à ação expressa pelo verbo (certeza, dúvida, ordem).

Os MODOS VERBAIS são três:

 



  1. a) Indicativo - indica certeza.




Ex.: Cantei uma linda canção.



  1. b) Subjuntivo - indica dúvida, suposição.




Ex.: Talvez esteja lá amanhã.



  1. c) Imperativo - Expressa ordem, pedido enfático, convite.




Ex.: Saia já daqui!

 

FORMAS NOMINAIS

São chamadas NOMINAIS, porque assumem função típica do nome.

São três as formas nominais:

 

. INFINITIVO (terminação R):



  1. a) impessoal: quando não se refere a qualquer pessoa gramatical; ou seja, aparece em orações que não têm sujeito.




Ex.: Morar no Rio é bom.



  1. b) pessoal: quando há um sujeito específico, determinado.




Ex.: É conveniente voltarmos para casa.

(sujeito de voltarmos: nós).

. GERÚNDIO (terminação NDO):

Ex.: Vivendo sozinho sinto-me bem.

. PARTICÍPIO (terminação DO quando regular e TO e SO quando irregular):

Ex.: Ele havia rompido com o amigo. (Particípio regular).

O ovo foi frito agora? (Particípio irregular).

 

TEMPOS SIMPLES E TEMPOS COMPOSTOS

Considerando a FORMA dos tempos verbais, eles podem ser simples e compostos. Os simples são constituídos por uma só forma; os compostos por duas formas:

Ex.: Ele cantou bem (tempo simples).

Ele teria cantado bem? (tempo composto).

Relacionadas