quinta, 22 de abril de 2021

Educação
Compartilhar:

Professor Trindade ensina sobre classes gramaticais

Redação / 21 de abril de 2019
VERBO é a palavra que exprime um FATO (ação, estado ou fenômeno) situado no tempo.

 

FLEXÕES DO VERBO

O verbo flexiona (varia) em:

 



  1. a) número: singular e plural.


  2. b) pessoa: 1ª, 2ª e 3ª.


  3. c) tempo: presente, passado e futuro.


  4. d) modo: indicativo, subjuntivo e imperativo.


  5. e) voz: ativa, passiva e reflexiva.




 

CONJUGAÇÕES VERBAIS

 

Existem, na Língua Portuguesa, cerca de 11 mil verbos, distribuídos por três conjugações:

. 1ª conjugação (terminação AR) – cantar, amar.

. 2ª conjugação (terminação ER) – viver, beber.

. 3ª conjugação (terminação IR) – partir, sorrir.

 

ATENÇÃO: O verbo PÔR (e derivados) é considerado de segunda conjugação, pois vem da forma latina poer.

 

NÚMEROS E PESSOAS VERBAIS

 











































1ª PESSOA 2ª PESSOA 3ª PESSOA
SINGULAR eu tu ele/ela
PLURAL Nós vós eles/elas


 

TEMPOS VERBAIS

 

PRESENTE- Usa-se em referência a fatos que se passam NO MOMENTO EM QUE FALAMOS.

Ex.: “Eu canto porque o instante existe”.

 

PRETÉRITO (PASSADO) - Usa-se em referência a fatos que JÁ ACONTECERAM. Divide-se em:



  1. a) perfeito: indica uma ação que começa e termina no passado, sem interrupção.




Ex.: Ontem, ela cantou bem.



  1. b) imperfeito: indica uma ação do passado que, por algum motivo, não foi concluída.




Ex.: Eu cantava, quando ela chegou e interrompeu.



  1. c) mais-que-perfeito: indica uma ação que começa e termina no passado, mas que acontece antes de OUTRA AÇÃO TAMBÉM CONCLUÍDA NO PASSADO.




Ex.: Eu já fizera o trabalho, quando ela se dispôs a ajudar.

 

FUTURO – Ação que vai acontecer. O FUTURO divide-se em:



  1. a) futuro do presente: indica um fato que acontecerá DEPOIS do momento em que falamos.




Ex.: Ela viajará amanhã cedo.



  1. b) futuro do pretérito: indica uma ação futura, em relação a um fato no passado.




Ex.: Ele disse que chegaria ontem.

 

MODOS DO VEBRO

Modos são as diversas formas que o verbo toma para expressar a atitude da pessoa em relação à ação expressa pelo verbo (certeza, dúvida, ordem).

Os MODOS VERBAIS são três:

 



  1. a) Indicativo- indica certeza.




Ex.: Cantei uma linda canção.



  1. b) Subjuntivo- indica dúvida, suposição.




Ex.: Talvez esteja lá amanhã.

 



  1. c) Imperativo- Expressa ordem, pedido enfático, convite.




Ex.: Saia já daqui!

 

FORMAS NOMINAIS

São chamadas NOMINAIS porque assumem função típica do nome.

São três as formas nominais:

 

. INFINITIVO (terminação R)



  1. a) impessoal: quando não se refere a qualquer pessoa gramatical; ou seja, aparece em orações que não têm sujeito.




Ex.: Morar no Rio é bom.



  1. b) pessoal: quando há um sujeito específico, determinado.




Ex.: É conveniente voltarmos para casa.

(sujeito de voltarmos: nós).

. GERÚNDIO (terminação NDO)

Ex.: Vivendo sozinho sinto-me bem.

 

. PARTICÍPIO (terminação DO quando regular e TO e SO quando irregular).

 

TEMPOS SIMPLES E TEMPOS COMPOSTOS

Considerando a FORMA dos tempos verbais, eles podem ser simples e compostos. Os simples são constituídos por uma só forma; os compostos por duas forma (veremos, mais adiante, a formação dos tempos compostos).

Ex.: Ele cantou bem (tempo simples).

Ele teria cantado bem? (tempo composto).

 

FORMAS RIZOTÔNICAS E ARRIZOTÔNICAS

 

Quando a sílaba TÔNICA (forte) está DENTRO do radical temos a forma RIZOTÔNICA. Quando a sílaba tônica está FORA do radical, temos a forma ARRIZOTÔNICA (rizo = raiz)

Ex.: Eu CANTO. (forma rizotônica)

Cant: radical

Can: sílaba tônica

Eu CANTEI. (forma arrizotônica)

Cant: radical

Ei: sílaba tônica

 

CLASSIFICAÇÃO DOS VERBOS

 

Considerando a FLEXÃO o verbo pode ser:

 



  1. a) REGULAR – Não sofre alteração no radical.




Ex.: CANTo, CANTar.

 



  1. b) IRREGULAR – Sofre alteração no radical.




Ex.: eu ouço, tu ouves (ouvir)

eu peço, tu pedes (pedir)

eu faço, tu fazes (fazer)

ATENÇÃO: Quando a IRREGULARIDADE é extrema, o verbo se chama ANÔMALO.

São considerados anômalos os verbos SER, ESTAR, TER, HAVER, IR, VIR e PÔR.

 



  1. c) DEFECTIVO – Verbo que apresenta LACUNAS (falhas, defeitos) na conjugação.




Ex.: Abolir, colorir, falir.

 



  1. d) ABUNDANTE -




Dá-se o nome de ABUNDANTE ao verbo que apresenta MAIS DE UMA FORMA em qualquer elemento da conjugação. A abundância ocorre geralmente, mas NÃO OBRIGATORIAMENTE, no particípio.

Temos, para os verbos abundantes, DOIS particípios. Um, chamado REGULAR, tem a terminação DO; outro, chamado IRREGULAR, não tem terminação definida, mas, geralmente, é TO e SO.

Exemplo de alguns verbos abundantes no particípio:

 































































































































VERBO PARTICÍPIO REGULAR PARTICÍPIO IRREGULAR
Aceitar Aceitado Aceito
Entregar Entregado Entregue
Matar Matado Morto
Morrer Morrido Morto
Acender Acendido Aceso
Salvar Salvado Salvo
Imprimir Imprimido Impresso
Suspender Suspendido Suspenso
Romper Rompido Roto
Imergir Imergido Imerso
Incorrer Incorrido Incurso


 

OBSERVAÇÃO

Alguns verbos apresentam abundância NOUTRAS FORMAS, que não o particípio. É o caso, por exemplo, do verbo CONSTRUIR, no qual temos as formas:

ele constrói ou ele construi.

É o caso, também, do verbo RELAMPEJAR, que, além da forma citada, tem RELAMPEAR, RELAMPAR e RELAMPAGUEAR.

ATENÇÃO

O uso dos particípios, nos verbos ABUNDANTES, se dá da seguinte maneira:

Usa-se o particípio regular (terminação DO) com os auxiliares TER e HAVER e o irregular (TO, SO) com os auxiliares SER e ESTAR.

Assim, temos:

O diretor havia SUSPENDIDO o aluno.

O aluno estava SUSPENSO.

Tal “regra”, porém, não é inflexível. Às vezes, a tendência de uso aponta para uma direção diferente.

 

ATENÇÃO

Alguns verbos não possuem o PARTICÍPIO REGULAR. É o caso dos verbos dizer (dito), escrever (escrito), fazer (feito), ver (visto), pôr (posto), abrir (aberto), cobrir (coberto) e vir (vindo).

A tendência atual é NÃO MAIS USAR O PARTICÍPIO REGULAR nos verbos PAGAR, GANHAR e GASTAR. De modo que a tendência é usar, apenas, PAGO, GANHO E GASTO.

 

VERBO PRINCIPAL E VERBO AUXILIAR

 

Quanto à função o verbo pode ser PRINCIPAL ou AUXILIAR.

 



  1. a) PRINCIPAL




Conserva a significação plena.

Eu irei embora.

 



  1. b) AUXILIAR




Junta-se a uma forma nominal de um verbo principal, para formar os TEMPOS COMPOSTOS e as LOCUÇÕES VERBAIS.

Ex.: A mansão FOI COMPRADA pelo magnata.



  1. Aux.




 

Os principais verbos auxiliares são: SER, ESTAR, TER E HAVER.

 

 

 

 

 

 

Relacionadas