sábado, 05 de dezembro de 2020

Educação
Compartilhar:

PB tem universidades públicas bem avaliadas em levantamento do MEC; confira as notas

Da redação com assessoria / 21 de dezembro de 2015
Foto: Chico Martins
As universidades públicas da Paraíba e o Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do estado obtiveram boas notas na mais recente avaliação do Ministério da Educação (MEC) divulgado na última semana. A Universidade Federal da Paraíba (UFPB), a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e o Instituto Federal de Ciência e Tecnologia da Paraíba tiraram nota 4 no Índice Geral de Cursos (IGC), que vai de 1 a 5. Já a Universidade Estadual da Paraíba tirou nota 3. Para ser “reprovada”, uma instituição precisa ficar abaixo da faixa 3.

Já entre as instituições de ensino superior privadas, a Faculdade Estácio da Paraíba foi a única que ficou com a nota 4. A única faculdade reprovada no estado foi a Faculdade de Ciências Contábeis Luiz Mendes, localizada em João Pessoa. A instituição de ensino ficou com a nota 2. O restante das faculdades privadas do estado ficou na faixa 3.

Calculado anualmente, IGC é feito com base na média ponderada dos Conceitos Preliminares de Curso (CPC, que levam em conta o rendimento dos alunos no ENADE, infraestrutura e qualidade do corpo docente) e dos conceitos de mestrado e doutorado, ancorados na avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoa de Nível Superior (Capes).

Melhores e piores cursos avaliados nas instituições públicas de ensino superior no estado

Na avaliação do MEC também foram divulgados os números dos cursos mais bem avaliados. Da UEPB, UFCG, UFPB e IFPB, o curso de Arquitetura e Urbanismo da UFCG, no campus de Campina Grande, teve uma nota de 4,2 no CPC.  Já o segundo curso avaliado foi o de Engenharia Química da UFPB, campus de João Pessoa, com uma nota de 3,9. E o terceiro colocado foi o curso de Química (Licenciatura) da UFPB, campus da Capital, com nota 3,8.

Porém, nem todos os cursos foram bem avaliados. O curso que tirou a pior nota foi o de Medicina, do campus de Cajazeiras da UFCG. Ele ficou com a nota 1.4. O segundo pior foi o curso de Direito, do campus de Guarabira da UFPB, também com nota 1,4. E o terceiro curso com a menor nota foi o de Ciências Contábeis, da UFCG, campus de Campina Grande, com nota de 1,8.

O índice considera o CPC dos cursos avaliados no ano do cálculo e nos dois anos anteriores. Por isso a divulgação refere-se aos três anos suficientes para que todas as áreas sejam avaliadas.

Notas 1 e 2 são insuficientes e o mau desempenho acarreta em punições por parte do MEC. Uma das medidas possíveis, por exemplo, é a proibição de novos vestibulares até que a instituições aponte soluções para melhora do desempenho.

Relacionadas