terça, 02 de março de 2021

Educação
Compartilhar:

Paraíba registra queda no número de alunos matriculados nas universidades públicas

Beto Pessoa / 01 de setembro de 2017
Foto: Reprodução
O número de alunos matriculados em cursos presenciais de graduação no ensino superior na Paraíba teve redução, quando comparados os anos de 2015 e 2016, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (31) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Em 2015, foram 70.469 matrículas nas instituições públicas da Paraíba, enquanto em 2016 o volume caiu para 69.974 (-0,7%). No contraponto, as instituições privadas tiveram acréscimo de 381 matrículas neste mesmo período, quase 0,6% a mais que no anterior. No Nordeste, cinco Estados tiveram quedas no volume de matrículas, quando comparados 2015 e 2016. Além da Paraíba (-0,08%), foram registradas baixas em Sergipe (-0,15%), Pernambuco (-0,21%), Alagoas (-5,77%) e Rio Grande do Norte (-6,4%).

No Brasil, as universidades privadas têm 71,51% do total de matrículas da graduação no ensino superior presencial (IES). Em 2016, dos mais de 6,5 milhões de matrículas, 4,6 milhões foram das unidades privadas, enquanto 1,8 milhão pertencem às instituições públicas. O comparativo contrasta com o ano anterior, quando os números eram mais equilibrados: em 2015, em todo país, foram 6,6 milhões de matrículas, 3,06 milhões das IES públicas e 3,5 milhões nas privadas. Em 2015, a Paraíba tinha 36 instituições de ensino superior. Destas, 32 eram privadas e somente quatro públicas (3 federais e 1 estadual).

O Inep não divulgou os dados estadualizados de 2016, mas no cenário nacional se percebe a queda das novas unidades públicas. Foram 43 unidades de ensino superior a mais em todo país, entre 2015 e 2016. Do total das novas instituições, apenas uma foi pública, outras 58 foram privadas, deixando o país com, no total, 296 instituições públicas (12,30%) e 2.111 privadas (87,7% do total). A reportagem procurou a Universidade Federal da Paraíba (UFPB) que é a instituição do Estado com o maior número de alunos. Contudo, a assessoria de comunicação da universidade informou que o responsável por comentar o assunto estava impossibilitado de responder à reportagem em virtude de um compromisso. Diferenças das IES. No país, apenas 8% das IES são universidades, porém essas instituições detêm 53,7% das matrículas nos cursos de graduação.

O Ministério da Educação, através do Decreto nº 5.773/06, divide as IES em três categorias: IFaculdades; II- Universidades; III- Centros de Ensino. Toda instituição é credenciada originalmente como faculdade. Para ser considerada universidade, a IES precisa de ensino, pesquisa e extensão interligados, além de pelo menos um terço do corpo docente com titulação acadêmica de mestrado ou doutorado e um terço do corpo docente em regime de tempo integral. Já os Centros Universitários são instituições de ensino superior pluricurriculares, abrangendo uma ou mais áreas do conhecimento. Mais de 54,8% das universidades brasileiras são públicas. Entre as IES privadas predominam aquela inseridas nas categorias “faculdades” (88,4%).

Relacionadas