quarta, 25 de novembro de 2020

Educação
Compartilhar:

Nem o básico da educação: PB não atingiu a meta nos ensinos fundamental 2 e médio

Ainoã Geminiano / 09 de setembro de 2016
Foto: Divulgação
A Paraíba não conseguiu atingir as metas do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb 2015) no ensino fundamental 2 (9º ano) e no ensino médio(3ª série), de acordo com os dados divulgados ontem pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), referentes a 2015. A maioria dos alunos matriculados nesses dois níveis estão na rede estadual. É do ensino médio, o mais deficitário do Estado, que o aluno parte para tentar faculdade e a vida profissional. A avaliação é divulgada a cada dois anos e somente os alunos do Ensino Fundamental 1, em sua maioria matriculados em escolas municipais, conseguiram superar a meta. Na rede privada de ensino, que tem metas mais altas que a rede pública, os alunos paraibanos também não atingiram o índice esperado em nenhum dos três níveis.

No país, a meta estipulada para os anos iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º) para 2015 foi alcançada por 74,7% das redes municipais. O resultado, segundo o Inep, demonstra o esforço dos municípios, que respondem por 82,5% das matrículas nesse nível de ensino, na rede pública. Na Paraíba, os alunos do Fundamental 1 foram os únicos que alcançaram a meta estipulada, que era de 4,1, ultrapassando o índice em 0,4 pontos.

Segundo o Inep, o índice nos anos iniciais do Ensino Fundamental vem evoluindo progressivamente desde que o Ideb começou a ser calculado, em 2005, permitindo o monitoramento das escolas e das redes de ensino. O Ideb passou de 3,8, em 2005; para 5,5, em 2015, superando as metas estipuladas. Este ano, apenas três estados não alcançaram as metas: Amapá, Rio de Janeiro e Distrito Federal. “Há evolução, mas em um nível aquém do que os estudantes brasileiros conseguem e merecem. Precisamos de uma reforma no Ensino Médio e de uma maior articulação das redes municipais e estaduais de ensino”, defende Maria Inês Fini, presidente do Inep.

No Ensino Fundamental, os índice melhoraram no país, mas não alcançaram a meta. Nesse nível, as responsabilidades estão divididas: a rede estadual responde por 43,6% dos alunos e a rede municipal, por 41,7%. Cinco estados superaram a meta: Goiás, Ceará, Mato Grosso, Amazonas e Pernambuco. Na Paraíba, o rendimento seguiu a tendência nacional, de melhorar, porém não atingir a meta. Já no Ensino Médio, o rendimento dos alunos paraibanos ficou praticamente estagnado no índice registrado em 2013. Nesse nível, quase todos os alunos estão na rede estadual de ensino.

Ensino precisa de reforma, diz Aléssio

Para o secretário de Educação da Paraíba, Aléssio Trindade, os níveis Fundamental 2 e Médio precisam passar por uma reforma, cujo modelo já foi proposto ao Ministério da Educação, pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed). “O modelo atual é muito baseado em conteúdo, provas, não tendo articulação com o mundo do trabalho e as questões da vida real. É o que acontece com a Física, por exemplo. Acaba ficando pouco significativo e desinteressante para os alunos”, disse. Segundo ele, o modelo proposto permite mais flexibilidade para uso de tecnologias, educação à distância e liberdade para redes fazer cursos articulados com outras redes. “Tem uma ênfase maior para a educação profissional, o que deve torná-lo mais atrativo”, complementou.

Relacionadas