sexta, 05 de março de 2021

Educação
Compartilhar:

Greves fizeram mais de 15,1 mil alunos pedirem desligamento da UEPB desde 2013

Redação / 23 de junho de 2017
Foto: Reprodução
As últimas greves de professores e agentes administrativos na Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) fizeram com que 15.128 alunos deixassem a instituição antes do término dos cursos superiores. Os dados, divulgados nesta sexta-feira (23) pela Pró-Reitoria de Graduação da instituição (Prograd), são referentes as paralisações entre 2013 e 2016 e evidenciam um grave problema para os alunos. Comente no fim da matéria.



Segundo a Prograd, a média de desligamento de alunos na UEPB tem alcançado 20% e o principal motivo é a falta de definição de quando a graduação vai ser concluída por conta da greve.

“O que temos constatado é que pela falta de certeza sobre quando vão terminar os cursos, devido às greves, os alunos estão se desligando da UEPB e isso tem ocorrido com mais frequência a cada nova greve. Em 2013, foram 3.471 estudantes que saíram da universidade. Já em 2015, esse número aumentou para 4.288 alunos solicitando cancelamento de sua matrícula. A perspectiva é de que, ao fecharmos 2017, teremos um número ainda maior de evasão”, disse o professor Eli Brandão, pró-reitor de Graduação.

Na atual greve, que ocorre desde 12 de abril, o período letivo prejudicado é o 2016.2, que já estava atrasado. Com isso, não existe previsão da Prograd de quando será iniciado o período 2017.1, que deveria ter começado no início deste ano.

“Estamos com o semestre irregular por causa das greves anteriores e com a situação se agravando com a atual greve. Quando estamos fazendo uma chamada, ela coincide com outras chamadas do Sistema de Seleção Unificada (SiSU). Agora vai começar o SiSU II, com a entrada regular em agosto, e nossa entrada do 2017.1 ainda nem começou. Então esse estudante que no ano passado fez o Enem entendia que o período 2017.1 iria começar em maio, por mais que estivesse atrasado. Mas chegamos ao meio do ano sem definição e esse aluno tem entrado no SiSU II para outra universidade. Cada vez mais temos registrado alunos que foram aprovados para o 2017.1, mas como o período não começou eles concorreram no SiSU II e estão pedindo cancelamento de sua matricula na UEPB para ir para outra Instituição”, contou o pró-reitor.

Relacionadas