terça, 20 de abril de 2021

Educação
Compartilhar:

Geração nem, nem: 248 mil paraibanos fazem parte desse grupo

Katiana Ramos / 03 de dezembro de 2016
 

A Paraíba tem 248 mil pessoas que nem estudam e nem trabalham. São jovens na faixa etária dos 15 aos 29 anos que não estão matriculadas em escolas, universidades ou cursos técnicos e também não têm ocupação. O dado integra a pesquisa ‘Síntese de Indicadores Sociais (SIS) 2016’ e foi divulgada ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revela uma realidade preocupante para o Estado e supera, inclusive, o total de pessoas na mesma faixa etária que tinham ocupações com estudo e trabalho.

Conforme os dados do IBGE, a parcela da população na faixa etária dos 15 aos 29 anos que não estudavam e não trabalham aumentou 1,94%, de 2014 para 2015 na Paraíba. A pesquisa apontou ainda que, das 248 mil pessoas computadas no ano passado, 43.648 não estavam procurando trabalho.

A existência de tantos jovens sem ocupação escolar ou de trabalho na Paraíba é uma preocupação para o desenvolvimento do Estado, na opinião da gerente de Educação de Jovens e Adultos da Secretaria de Educação Estadual (SEE), Maria de Oliveira. Segundo ela, no que se refere às pessoas que estão na faixa comum de freqüência escolar, essa situação pode estar relacionada também à evasão.

“É uma faixa etária de jovens que estão meio que inertes à realidade e, alguns, não despertam o interesse pelo estudo. Fazem a matrícula nas escolas e abandonam. Isso acontece principalmente com aqueles que vivem de trabalhos temporários ou doméstico, ou ainda os que têm filhos”, explicou a representante da SEE.

No que se refere ao mercado de trabalho, para a secretária de Desenvolvimento Humano do Estado, Aparecida Ramos, a falta da inserção desses jovens em ocupações se deve a atuação dos municípios na busca ativa e serviços de convivência. “A responsabilidade ir até esses jovens e oferecer oportunidades a eles para o trabalho é dos municípios. O estado contribui, mas essa busca deve partir de cada município”, disse Aparecida Ramos.

Dados da Pesquisa na PB

- Pessoas de 15 aos 29 anos

200.512 mil trabalham e estudam

251.604 mil só estudam

365.356 mil só trabalham

- Pessoas de 15 a 17 anos

25.289 mil nem trabalham, nem estudam

144.210 mil só estudam

25.289 mil estudam e trabalham

14.212 mil só trabalham

Estado oferece oportunidades

Tanto a representante da Secretaria Estadual de Educação quanto à secretária de Desenvolvimento Humano do Estado afirmaram que o governo dispõe de projetos e ações para proporcionar os jovens a continuidade dos estudos e o ingresso no mercado de trabalho. No caso da educação, Maria de Oliveira lembrou que todas as regionais de ensino do Estado dispõem de um projeto de ensino, na modalidade da Educação de Jovens e Adultos (EJA), que pode ser feito de maneira semi-presencial.

“Essa modalidade atende justamente a esses jovens que, por algum motivo, não podem frequentar a escola todos os dias. Ele faz a matrícula, recebe o material e as orientações e, quando se encontra apto a fazer as avaliações, ele agenda. É uma modalidade de estudo onde o aluno termina no tempo dele. Isso tem facilitado com que muitos jovens concluam o Ensino Fundamental e o Ensino Médio”, explicou.

Por sua vez, Aparecida Ramos lembrou que cursos e ações desenvolvidas nos Centros de Assistência Social auxiliam a inserção dos jovens no mercado de trabalho.

Relacionadas