sábado, 18 de novembro de 2017
Educação
Compartilhar:

Escolas privadas da Paraíba devem manter alunos e ficar longe da crise em 2016

Maurílio Júnior / 19 de outubro de 2015
O presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Privado do Estado (Sinepe-PB), Odésio Medeiros, revelou nesta segunda-feira (19) que a rede privada de ensino da Paraíba deve seguir na contramão da realidade nacional e não sofrerá com a redução no número de matrículas em 2016. De acordo com levantamento da Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep), a queda no número de alunos será de 10% a 12%.

“A Paraíba conta atualmente com as mensalidades mais baratas do país, que variam de R$ 100 a R$ 1 mil”, ressaltou Odésio explicando que no Estado não deverá haver perdas e que o número de matrículas nas escolas particulares deve ser mantido no próximo ano.

Atualmente, João Pessoa conta com mais de 100 mil alunos matriculados em escolas e faculdades particulares.  No Brasil, de acordo com o Censo Escolar de 2014, as escolas particulares concentram 9,1 milhões de matrículas - pouco mais de 18% das 49,8 milhões de matrículas na educação básica.

Inadimplência

Odésio Medeiros revelou que, atualmente, o índice de inadimplência registrado nas escolas privadas do Estado chega a 30, porém, o presidente do Sinepe não acredita que isso se deva a crise financeira que atinge o País. Para ele, o problema tem sido acarretado pela greve dos bancários.

Reajuste das mensalidades

Para 2016, Odésio Medeiros trabalha com a hipótese de um reajuste de 15% na mensalidade da rede privada, mas ainda não ratificado. De acordo com Medeiros, cada escola tem a autonomia de fixar suas mensalidades, contudo, a decisão é tomada em janeiro, sendo congelado o valor pelo resto do ano.

Relacionadas