sábado, 17 de agosto de 2019
Concurso
Compartilhar:

CORREIO traz questões de Língua Portuguesa para concurseiros; confira

Redação / 19 de maio de 2019
Foto: Ilustração CORREIO
Simulado de Língua Portuguesa




(NUCEPE) Texto para a questão:




1 - O quarto quadrinho do texto apresenta o conectivo mas, que normalmente opõe duas ideias contrárias. Esse recurso linguístico como fator de textualidade realiza uma








A- coesão referencial.


B - coerência argumentativa.


C - coesão sequencial.


D - coerência narrativa.


E - contiguidade.




2 - Assinale a alternativa em que as conjunções destacadas em - “Portanto, é importante dar às pessoas esse instrumento." e “Tradicionalmente a alfabetização se resumia a codificar e decodificar, porque o foco era a criança aprender apenas o código.” - têm, pela ordem, o substituto adequado e o sentido correto indicado entre parênteses.




A- No entanto (causa); porém (oposição).


B - Logo (conclusão); uma vez que (causa).


C - Entretanto (conclusão); portanto (explicação).


D - Assim (modo); desde que (condição).




Texto




Até que o beneficiário do plano complete 18 anos, os pais, como responsáveis pelos aportes, têm liberdade para interromper as contribuições e realizar saques. Mas essas medidas vão distanciá-los do objetivo inicial.




“É importante que o compromisso seja mantido. Certa vez um cliente nos disse que resgatar o valor investido seria o mesmo que assaltar o cofrinho do filho”, lembra João Batista Mendes Angelo, da Brasilprev.


(Veja, 9 de maio 2012. Com adaptações)




3 - A respeito da oração: “Mas essas medidas vão distanciá-los do objetivo inicial.”, analise as afirmativas.




I. “-los” pode ser substituído por “-lhes” preservando-se a correção da norma culta.




II. “-los” atua como elemento de coesão textual retomando referente anterior.




III. O termo “mas” pode ser substituído por “porém” sem prejuízo de sentido.




Está(ão) correta(s) apenas a(s) afirmativa(s)




A - I, II


B - II, III


C - I, III


D - I


E - I, II, III




Texto




Adolescência agora vai até os 24 anos, diz estudo




Até quando vai a adolescência? Alguns podem achar que ela dura a vida toda. Mas cientistas definiram um período para essa fase da vida, que fica entre a infância e a vida adulta.


    Estudo divulgado pela revista científica Lancet Child & Adolescent Health afirma que a definição de adolescência mudou, passando agora para o período entre 10 e 24 anos de idade. Pela definição anterior, essa etapa da vida ia até os 19 anos.


    A nova definição reflete mudanças de comportamento, como a demora para concluir os estudos, casar e ter filhos.


    De acordo com o estudo, a definição adequada desta etapa da vida é essencial para o desenvolvimento de leis, políticas sociais e serviços.


   O estudo lembra que a definição do início da adolescência já foi antecipada anteriormente para 10 anos – costumava ser padronizada como 14.


Da Redação -  Publicado em- 19 jan 2018, 20h58






4 - Assinale a alternativa que apresenta o gênero e a tipologia textual que caracterizam o texto.




A- Reportagem – expositiva.


B - Notícia – narrativa.


C - Artigo de opinião – argumentativa.


D - Reportagem – argumentativa.


E - Notícia – expositiva.




Texto




IBGE: 24,8 milhões das pessoas de 14 a 29 anos não frequentam escolas no país 21/12/2017 11h43 - Rio de Janeiro




A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua.) 2016 divulgada hoje (21) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE.) estima que 24,8 milhões das pessoas de 14 a 29 anos de idade não frequentavam escola, cursos pré-vestibular, técnico de nível médio ou de qualificação profissional no ano passado.




As razões mais frequentes para não estarem estudando foram por motivo de trabalho, seja porque trabalhava, estava procurando trabalho ou conseguiu trabalho que iria começar em breve (41%); não tinha interesse em continuar os estudos (19,7%); e por ter que cuidar dos afazeres domésticos ou de criança, adolescente, idosos ou pessoa com necessidades especiais (12,8%).




Os motivos relacionados ao mercado de trabalho para não ir à escola foram mais frequentes entre os homens (50,5%). Além disso, entre eles, 24,1% disseram não ter interesse, e 8,2% já tinham concluído o nível de estudo que desejavam.




Para as mulheres, o motivo relacionado a trabalho para não estudar também foi o mais frequente (30,5%); 26,1% delas alegaram ter que cuidar dos afazeres domésticos ou de criança, adolescente, idosos ou pessoa com necessidades especiais, proporção 30 vezes superior à observada entre os homens; e 14,9% não tinham interesse.




No Brasil, em 2016, havia 51,6 milhões de pessoas de 14 a 29 anos de idade. Desse total, 13,3% estavam ocupadas e estudavam; 20,5% não trabalhavam e não estudavam; 32,7% não trabalhavam, mas estudavam e 33,4% estavam ocupadas e não estudavam. [...]




5 - Com relação à forma como o texto se estrutura, conclui-se que ele é, predominantemente,




A - argumentativo.


B - dialogal.


C - expositivo.


D - injuntivo.


E - narrativo.




(IFMS) Segundo Koch (2009, p. 14), em sua obra A Coesão Textual, “a Linguística Textual toma, pois, como objeto particular de investigação não mais a palavra ou frase isolada, mas o texto, considerado a unidade básica de manifestação da linguagem, visto que o homem se comunica por meio de textos e que existem diversos fenômenos linguísticos que só podem ser explicados no interior do texto. […] Assim, passou-se a pesquisar o que faz com que um texto seja um texto, isto é, quais os elementos ou fatores responsáveis pela textualidade.”


KOCH, Ingedore Villaça. A coesão textual. São Paulo: Contexto, 2009.




6 - Na obra referida acima, são apresentados sete fatores de textualidade. Dentre eles, enquadram-se: 




A - intertextualidade, coerência e norma culta.


B - situacionalidade, intencionalidade e investigabilidade.


C - informatividade, situacionalidade e intencionalidade.


D - coerência, norma culta e aceitabilidade.


E - aceitabilidade, heterogeneidade e informatividade.




(U N I F A P) - Analise as assertivas abaixo:




 I. São fatores de textualidade, dentre outros, a coesão e a coerência, a informatividade, a intertextualidade.


II. Ao ler um texto, o leitor poderá fazê-lo de maneira superficial, sem qualquer tipo de envolvimento ou poderá envolver-se no texto, ocasião em que já domina seu conteúdo.


III. Os gêneros textuais são mais dinâmicos que os tipos textuais no sentido de que aqueles se assentam na diversidade de contextos em que precisamos nos comunicar, ao passo que estes se assentam em estruturas rígidas.




 7 - É CORRETO afirmar que: 




A - Apenas I está correta.


B - Apenas II está correta.


C - Apenas III está correta.


D - I e II estão corretas.


E - I e III estão corretas.








GABARITO :1. C 2. B    3. B  4. E 5. C  6. C 7. E


Relacionadas