quarta, 26 de junho de 2019
Educação
Compartilhar:

Conheça a importância dos exames de Cambridge

Kubitschek Pinheiro / 04 de dezembro de 2017
Foto: Divulgação
São de grande importância os exames da Cambridge University que vão além das fronteiras por vir de encontro a essa realidade do mercado de trabalho no mundo. Os certificados são aceitos por mais de 20 mil universidades e empregadores em todo planeta. Esses exames servem como um índice externo para análise do alto nível dos cursos de língua inglesa deixando os alunos mais confiantes e desenvolvendo uma atitude positiva em relação a testes. Os certificados profissionalizantes dessa universidade tem um nível muito mais elevado que o exigido para o ENEM.

Cambridge University é um exame da língua inglesa de nível superior. Ele pode ajudar o aluno a estudar no exterior com facilidade de compreensão e também facilidade de comunicação oral, estudar no exterior se tornou algo corriqueiro, trabalhar em empresa estrangeira vai ser algo bem normal no Brasil devido as privatizações de nossas estatais. Estar pronto para essa nova realidade é imprescindível para um futuro cada vez mais inglês. Esta é uma conquista da qual todo aluno que possui esses certificados pode se orgulhar. Leia e entrevista com do professor David Santos Barlow, Local Secretary da Universidade de Cambridge e entenda a importância desse certificado.

Um profissional na atualidade que é fluente em inglês tem uma elevação de 30% a 40% de seu salário, o que é ser fluente em inglês?

Com o Google no ar achamos que se pode traduzir tudo, mas não é verdade! Ser Fluente em inglês significa atender um telefonema da China, Estados Unidos ou de qualquer lugar do mundo e resolver um problema para a empresa. Não se engane, essa realidade já chegou. Nosso país com a valorização do dólar e privatização de estatais depende muito do mercado estrangeiro e existe hoje uma tendência crescente.

O Brasil está entre os piores no ranking de países com domínio do inglês pleno, o Sr ver algo a melhorar?

O inglês falado internacionalmente já pegou muitos empresários de surpresa. Não se aprende inglês de repente. As escolas estaduais e privadas estão melhorando seu ensino da língua inglesa mas falta professores qualificados. Cursos de inglês são as melhores opções pois têm mais chances de encontrar um corpo docente com inglês mais refinado e treinado.

Sr David, quando assumiu o cargo de Local Secretary da Universidade de Cambridge em 2002, você previu esse aumento da demanda desses exames?

Desde 1963 esses exames são aplicados aqui em João Pessoa através da Universidade de Cambridge, pioneira em classificar os níveis dos alunos que estudam inglês como segunda língua. Estes exames são os mais aceitos no Mundo. Quando eu assumi esse posto previ a importância desses exames devido a sua imparcialidade. Não é o curso de inglês que aprova ou reprova o aluno, mas uma universidade idônea, fundada na Inglaterra em 1209.

Quais são os certificados de Cambridge?

Ao final de um curso de inglês todo aluno quer que seu nível seja reconhecido por um órgão idôneo estrangeiro. O certificado de conclusão de um curso de inglês nada vale para as empresas contratantes no mercado de trabalho brasileiro hoje em dia. Você tem de comprovar seu nível de inglês através de certificados. Vou relatar os exames e seus níveis para se ter uma idéia desses cursos profissionalizantes:

Certificado PET (Preliminary English Test) garante a seu possuidor fechar uma prova de Inglês do ENEM com maestria. O possuidor de um certificado PET tem inglês para enfrentar uma viagem internacional sozinho, ser entendido em solo estrangeiro e fazer um curso fora do país.

Certificado FCE (First Certificate in English) é o mais popular do Mundo.Exigência mínima para comprovar fluência plena em inglês na contratação de uma empresa de origem estrangeira hoje em dia. O que era raro de se conseguir anos atrás se tornou normal.

Certificado CAE (Certificate of Advanced English) seu possuidor já pode se tornar um professor de inglês juntamente com uma certificação metodológica em qualquer escola ou curso de inglês além de conseguir melhores ofertas no mercado de trabalho.

Certificado CPE (Certificate of Proficiency in English) o topo da pirâmide em conhecimento de inglês como segunda língua no Mundo. Quem chega a possuir tal mérito tem inglês muito aproximado do nativo culto. Já vi candidatos chegarem até o CPE com 16 anos de idade. Incrivelmente eles atingem notas altíssimas por terem tido inglês desde os 4 anos. Começar cedo o inglês garante uma pronúncia mais aguçada, bem aproximada ao nativo.

 

Essa prova de FCE que você falou ser a mais popular e bem aceita , quantas horas de aula são suficientes para atingir esse nível?

Não é tanto a quantidade de horas de estudo, mas qual curso está apto a preparar o aluno para tal propósito. O aluno para atingir o nível FCE tem de ser fluente na oralidade do inglês, na gramática, nas expressões idiomáticas, na leitura e compreensão auditiva. O professor é a chave desse processo, o nível homogênio dos alunos, quantos alunos na sala, qual seu tempo de exposição oral, treinamento linguístico, qual material didático que está sendo empregado além de vários outras praticas que somente um bom curso pode preparar o candidato. Mas para lhe responder melhor seria necessário algo em torno de 450 horas em um bom curso de inglês para se chegar à aprovação. Sei que é um bom tempo de estudo, para isso a escola tem de arranjar maneiras de motivar seus alunos em continuar seus estudos. Não há atalhos e quem não estiver se preparando para esse domínio do inglês vai perder lá na frente.

Há vários cursos e colégios dispostos a oferecer os Exames de Cambridge a seus alunos, quais são os critérios para se tornar um bom preparador para as provas?

A princípio ter uma equipe de professores realmente apta. Não basta ser professor de inglês. O professor que ter certificação internacional ou com metodologia específica. Não se prepara um corpo docente capaz de preparar alunos para esses exames da noite para o dia. Isso leva anos. É de extrema responsabilidade dos pais fazer a escolha certa mediante esses atributos, afinal estamos falando de um certificado cada vez mais exigido. Começar cedo com bom método garante ao aluno disposição em concluir todos os estágios do processo até atingir seu objetivo máximo que são as provas de Cambridge. Ideal para uma escola postulante em aplicar tais exames é iniciar com os exames motivacionais, tais como Starters, Movers e Flyers que são exames geralmente aplicados em colégios que tem a missão de motivar seus alunos a continuar estudando, são níveis bem básicos e nunca reprovam.

Essas provas são elaboradas aqui no Brasil?

São produzidas na própria Universidade de Cambridge na Inglaterra e corrigidas lá também. Em João pessoa iniciou-se a aplicação destes exames em 1963 quando o professor David Harnden Barlow, um visionário do setor educacional de inglês previu a idoneidade dessa universidade em avaliar o nível de inglês de seus alunos paraibanos.

Qual a estimativa das aprovações que se teve até hoje ?

É bom separar os Exames profissionalizantes como PET, FCE, CAE e CPE das provas dos motivacionais que falei. Os exames profissionalizantes já atingiram mais de 10 mil certificações em todo Estado paraibano nesses últimos 55 anos. É difícil saber quantos candidatos já possuem tais certificados pois muitos deles fazem toda a sequência de provas até atingir o seu alvo. Quem chega ao CPE geralmente já conquistou os outros 3 exames anteriores.

Qual o setor da Universidade de Cambridge que aplica essas provas? Como isso começou?

A história desses exames é interessante. No início do Século XX a Inglaterra já havia atraído grande quantidade de imigrantes oriundos de suas colônias espalhados pelo mundo. Muitos deles havia adquirido fluência considerável no solo britânico e desejavam um certificado de comprovação de seu nível de Inglês. Foi então fundado a UCLES (University of Cambridge Local Examination Syndicate) que em 1913 elaborou o primeiro certificado de proficiência inglesa, o Certificate of Proficiency in English para atender esses imigrantes. A prova de CPE foi de difícil aprovação para os primeiros candidatos. Em seguida vieram as guerras mundiais e décadas depois em 1963 foi reexaminado o nível exigido dessas provas. Foi elaborada uma prova redimensionada para os candidatos com bom nível de inglês mas não necessariamente de tão excelente nível como o CPE. Surgiu então o Lower Proficiency, o que depois em 1975 passou a se chamar First Certificate in English. É bem comum encontrar em João Pessoa ex- alunos que dizem ter feito inglês até o Lower, o equivalente hoje ao FCE. Garanto que esses felizardos que atingiram o Lower nos anos 60 e 70 têm boas histórias para contar, como o inglês tem lhes dado muitas alegrias e lhes aberto portas.

Relacionadas