terça, 02 de março de 2021

Educação
Compartilhar:

Confira a coluna ‘Língua e Linguagem’ do Professor Trindade desta semana

Professor Trindade / 20 de agosto de 2017
Foto: Reprodução
Observe o leitor a seguinte frase:

“O resto do exército realista evacua Santarém; vão em fuga para o Alentejo.”

Você acha que está errada?

E se eu lhe disser que ela é de Almeida Garret, um dos maiores escritores portugueses? Você já hesitará um pouco, não?

Na verdade, nessa frase não se está usando a concordância gramatical, mas sim, a ideológica (silepse).

Há dois tipos de concordância: a gramatical (a que estamos acostumados a usar) e a ideológica (silepse). A primeira o leitor já sabe que é aquela em que o verbo concorda com o núcleo do sujeito; a segunda (menos frequente e mais literária) é aquela em que o autor concorda com a ideia expressa na frase, e não com a gramática.

Por exemplo:

Supondo que você se encontre com o governador e o veja muito cansado. Você vai perguntar:

-Vossa excelência está muito cansada, governador?

Claro que não!

Embora Vossa excelência seja uma palavra feminina, como o nosso governador é homem você vai dizer:

-Vossa excelência está muito cansado, governador?

Note que, aí, a concordância foi feita com a ideia: usou-se o masculino: cansado, para concordar com governador, idem.

Suponhamos, agora, outra situação:

Você é integrante de uma turma concluinte do Ensino Médio e, então, dirige-se ao diretor da Escola e diz:

- Os terceiranistas estamos muito felizes com a nossa formatura.

Note que o sujito da oração é os terceiranistas (3ª pessoa do plural), mas, como você quis se incluir, concordou com a ideia (= nós).

Na verdade, a silepse não está rigorosamente no campo da gramática, mas sim, da estilística; no entanto, os gramáticos e a prática assimilaram tal concordância e a aceitam, pacificamente, como figura de sintaxe.

TIPOS DE SILEPSE

1.De número:

“O resto do exército realista evacua neste momento Santarém; vão em fuga para o Alentejo.” (Garret)

2.De gênero:

Vossa excelência está muito cansado, governador?

3.De pessoa

“Os modernistas da Semana de Arte Moderna não devemos servir de exemplo a ninguém.” (Mário de Andrade)

Relacionadas