quinta, 22 de abril de 2021

Educação
Compartilhar:

Concordância verbal é o assunto de aula do professor Trindade

João Trindade / 03 de março de 2019
Foto: Arquivo
Curso Prático de Português, em 22 lições

Lição nº 9: CONCORDÂNCIA  VERBAL

Impressionante o número de leitores que nos pedem orientação completa sobre Concordância Verbal.

Completa é impossível, na proposta desse nosso curso rápido. Vamos às orientações FUNDAMENTAIS:

REGRA GERAL DE CONCORDÂNCIA VERBAL

O verbo concorda com o núcleo do sujeito.

É errado escrever:

Existiu muitas discussões naquela reunião.

O certo é:

Existiram muitas discussões naquela reunião.

Parece uma dica banal, mas muita gente erra essa regra tão simples.

PRONOMES DE TRATAMENTO

Fazem concordância com a terceira pessoa, e não com a segunda.

Ex.: Vossa excelência irá à inauguração?

Ainda sobre pronomes de tratamento:

Se você estiver falando diretamente com a pessoa, usará vossa excelência

(vossa senhoria, etc.); mas se estiver falando sobre a pessoa, usará sua excelência (sua senhoria, etc.).

Exemplos:

Vossa excelência irá mesmo ao comício?

Sua excelência não está aqui, mas ficará alegre com a notícia.

ATENÇÃO:

Muita gente costuma usar vossa (e flexões) para concordar com o pronome

de tratamento. Na verdade, deve-se usar pronome de terceira pessoa seu (e flexões):

Vossa Excelência deixou seu (e não, vosso) paletó lá fora.

PRONOMES RELATIVOS QUE / QUEM

Quando o sujeito da frase for o pronome relativo que, o verbo concordará com o antecedente do quê; quando o sujeito for quem, o verbo ficará na terceira pessoa do singular.

Exemplos:

Sou eu que pago a conta.

Somos nós que pagamos a conta.

Sou eu quem paga a conta.

Somos nós quem paga a conta.

NOMES PLURALIZADOS

A concordância correta é:

Havendo artigo, o verbo concorda com o artigo; não havendo, o verbo ficará no singular:

Os Estados Unidos destruíram a União Soviética.

Estados Unidos destruiu a União Soviética.

Os Estados Unidos são uma grande potência.

Estados Unidos é uma grande potência.

Entendemos que a regra se estende ao uso de abreviaturas:

Os EUA fazem parte ONU.

EUA faz parte da ONU.

CONCORDÂNCIA: VERBO + SE

Se o verbo for transitivo direto e estiver acompanhado do pronome se, concordará com o sujeito. Deve-se, então, dizer:

Fizeram-se as compras (as compras foram feitas).

vtd

Compraram-se vários sapatos (vários sapatos foram comprados).

vtd

Alugam-se gambiarras (gambiarras são alugadas).

vtd

Quando o verbo for transitivo indireto, ou intransitivo, acompanhado do se, ficará na terceira pessoa do singular:

Concordou-se com os planos.

vti

Precisa-se de motoristas

vti

Vive-se bem aqui.

vi

CONCORDÂNCIA: MISTURA DE PESSOAS GRAMATICAIS

Na mistura de pessoas gramaticais, a ganha” da 2ª e da 3ª, e a

ganha” da 3ª, ficando o verbo, evidentemente, na pessoa respectiva do plural:

Eu, tu e teu irmão iremos à festa.  (eu + tu= nós)

Tu e ela ireis à festa.  (tu + ela = vós)

Fazendo um raciocínio prático:

Eu + tu = nós

Eu + ele (a); você = nós

Eu + tu + ele (a); você = nós

Eu + tu + eles (as); vocês = nós

Eu + vós = nós

Tu + ele (a); você = vós

Tu + eles (as): vocês = vós

CONCORDÂNCIA DO VERBO SER

Na concordância do verbo ser, quando o sujeito e o predicativo forem substantivos, pessoa ganha de coisa; substantivo próprio ganha do comum; concreto ganha do abstrato; pronome pessoal ganha do substantivo e pronome não pessoal perde para o substantivo.

Então, observe a maneira correta de falar (e escrever):



  • O homem (pessoa) é cinzas (coisa).


  • Por acaso, Dr. Romildo (próprio) é, na empresa, muitos presidentes (comum)?


  • O neto (concreto) era as alegrias (abstrato) do avô.


  • O poeta (substantivo) aqui sou eu (pronome pessoal).


  • Nemtudo (pronome não pessoal) sãoflores (substantivo) na vida.




ATENÇÃO:

Esta é a construção correta.

Observação:

No caso de empate, o verbo ser deve ir para o plural. Aliás, na dúvida, prefira o plural, porque este casa melhor com o verbo em questão.

INDICAÇÃO DE DATAS

Quando usarmos o verbo ser, na indicação de datas, seguiremos o seguinte critério:

Se não houver a palavra dia, o verbo concordará com o numeral da data; havendo a palavra dia, o verbo ficará no singular.

Exemplos:

Hoje são 19.

Amanhã serão vinte.

Ontem foram 18.

Hoje é primeiro.

Hoje é dia primeiro.

Hoje são dois.

Hoje é dia dois

 

 

 

Relacionadas