domingo, 19 de novembro de 2017
Educação
Compartilhar:

17% das vagas das universidades na PB ficam com alunos de fora do Estado

Lucilene Meireles / 25 de outubro de 2015
Foto: Nalva Figueiredo
É um tipo diferente de colonização. A qualidade da educação dos paraibanos e a migração de alunos de outros Estados (alguns que só se matriculam e vão embora) explicam a invasão, a sobra de vagas do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) nas instituições de ensino superior (IES) e, ao mesmo tempo, a falta de acesso de paraibanos ao ensino superior.

Para se ter ideia, na segunda edição do Sisu de 2014, a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) ofertou 2.441 vagas, das quais 409 sobraram. Porém, dos mais de dois mil matriculados, pelo menos 500 pediram cancelamento de matrícula.

O especialista em educação e diretor do Centro de Educação da UFPB, Wilson Aragão, aposta que o caminho é investir no estímulo aos professores. Ele afirmou que, apesar da educação básica ser fundamental, o ensino médio é um dos pontos mais críticos e precisa ser melhorado.

Neste final de semana, milhares de paraibanos estão quebrando a cabeça com as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A maioria quer vaga numa universidade pública. Após essa fase, vêm a inscrição e a espera pelas chamadas do Sisu. O processo é desgastante e, mesmo sobrando vagas, muitos ficam de fora. Dos que entram, alguns desistem. O último estudo do MEC, em 2010, mostrou que o índice de evasão nas universidades públicas era de 13,2%. Na Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), o percentual chega a 18%.

Leia mais no jornal Correio da Paraíba

Relacionadas