quinta, 19 de setembro de 2019
Cidades
Compartilhar:

Edital para ocupação da Villa Sanhauá é lançado

Aline Martins / 05 de janeiro de 2018
Foto: Nalva Figueiredo
O edital para ocupação dos oitos casarões do Residencial Villa Sanhauá, que está sendo reabilitado na Rua João Suassuna, no Varadouro em João Pessoa, foi lançado na manhã de dessa quinta-feira (4). Esse local é destinado para moradias e estabelecimentos comerciais.  Os interessados têm 30 dias, a contar desde essa quinta-feira (4), para se inscrever nesse processo. A previsão é que as obras sejam concluídas em até 100 dias.

A modalidade ocupação de casarões no Centro Histórico por moradias é pioneira no Brasil. Segundo o prefeito Luciano Cartaxo, serão priorizadas pessoas que desenvolvem alguma atividade cultural. “João Pessoa foi escolhida pela Unesco como cidade criativa. Nós fazemos parte de uma rede mundial da ONU de Cidades Criativas. É importante estabelecer esses critérios de fortalecimento da economia criativa da nossa cidade, trazendo as pessoas que tenham algum vínculo histórico com essa cidade, cultura e nossas raízes”, frisou, destacando que todos os critérios para ocupação do espaço estão dispostos no edital, que já está disponível no site da Prefeitura Municipal de João Pessoa.

Espaços

Conforme o edital, os moradores receberão a concessão de direito real de uso onerosa por 20 anos, podendo ser prorrogado. As seis unidades comerciais no ramo de alimentos, turismo e de atividades culturais, artesanais ou relacionados à cultura regional, terão concedidas permissões de um ano, mas também prorrogável.

As candidaturas passarão por análise de mérito, por meio de critérios públicos e imparciais.

Além das salas comerciais, haverá um espaço institucional da Prefeitura que vai cuidar da organização do Centro Histórico como um todo. Os resultados serão divulgados no Semanário Municipal.

O prefeito destacou que a Prefeitura conseguiu desapropriar os casarões com recursos próprios e projeto de revitalização do Centro Histórico foi elaborado por engenheiros da Secretaria de Habitação e Planejamento. “Os casarões estavam abandonados há décadas e hoje nós vamos ter a oportunidade de oferecer moradia, qualidade de vida para o Centro Histórico e fortalecer nossa economia”, afirmou, destacando que os apartamentos serão de padrão de extrema qualidade.

O projeto

A reforma foi aprovada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Cultural Nacional (Iphan) e Estadual (Iphaep), respeitando todas as normatizações técnicas.

Relacionadas