quinta, 14 de novembro de 2019
Cidades
Compartilhar:

Deslizamentos e crateras interditam vias da Grande JP

Beto Pessoa e Lucilene Meireles / 18 de junho de 2019
Foto: Divulgação/Secom-PB
Deslizamentos e crateras na malha asfáltica foram os principais problemas vividos por quem circulou pela cidade de João Pessoa ontem. Por conta das fortes chuvas, áreas de barreira da Capital tiveram deslizamentos durante o final de semana e ontem prejudicaram o trânsito. A mais recente foi a do Altiplano, na Rua Desportista José Eduardo Holanda, com a José Ramalho Brunet. O barro se soltou em alguns pontos e foi necessária a interdição da via, que permanece fechada por tempo indefinido.

Na Avenida João Cirilo, que fica na parte superior, o trânsito está mantido e, segundo a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob), não há previsão de suspensão do tráfego no local. Além desta área, a Semob segue monitorando os pontos que costumam ser de alagamento.

O coordenador da Defesa Civil de João Pessoa, Noé Estrela, observou que há uma vegetação muito alta na barreira, árvores de grande porte. Com o grande volume de chuva, houve deslocamento da vegetação e da barreira em alguns pontos. A Semob fez a interdição e, junto com a Energisa e Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), a Defesa Civil está monitorando o local, mas não retirou o material que deslizou. “Ainda não vimos a necessidade de retirar.

Se for retirado, poderá ocasionar mais deslizamento. No momento, ele está lá fazendo com que a barreira não deslize mais ainda. A via, na parte de baixo, está interditada e será feita a remoção do lamaçal”, disse Noé.

BR-230. O trecho do quilômetro 19, da rodovia federal, permaneceu interditado até final da tarde de ontem , sendo liberado á noite . Com a remoção das casas, foram retirados restos da demolição e, por isso, a rodovia estava bloqueada no sentido João Pessoa - Cabedelo.

O trânsito foi desviado pela Avenida Dom Pedro II. Com a interdição da BR-230, a Semob-JP liberou o uso da faixa exclusiva para ônibus, inicialmente, na Pedro II e, posteriormente, em toda a Capital.

“O volume de chuva é terrível e, com o solo encharcado, poderão ocorrer novos deslizamentos. A gente está correndo, fazendo interdição onde há necessidade, como é o caso do Castelo Branco, onde retiramos todo o material das casas que foram demolidas. Vamos proceder agora com o isolamento da barreira, com uma lona para evitar o máximo de impacto com as chuvas”, declarou o coordenador da Defesa Civil de João Pessoa, Noé Estrela.

Santa Rita

Até o final da noite de ontem, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) manteve também interdição parcial no quilômetro 39 da BR 230, no município de Santa Rita. Parte do acostamento e a faixa da direita ficaram interditadas em virtude de defeito na via ocasionado pelas chuvas.

Rodovia estadual

Uma trecho da rodovia estadual que liga Santa Rita a Cruz do Espírito Santo foi interditado pelo DER, tendo em vista que as chuvas caídas na Grande João Pessoa nas últimas 48 horas provocaram a destruição parcial da ponte sobre o Rio Preto, com mais de 12 metros de extensão, impedindo a passagem de veículos e pedestres. Uma nova ponte deverá ser construída em caráter emergencial.

Uma rodovia alternativa passando pela Usina São João poderá ser usada pelos motoristas.

Seguem bloqueios



Até o final da noite de ontem, os únicos pontos bloqueados por conta das fortes chuvas eram: Ladeira Altiplano - Cabo Branco, em frente ao Paço dos Leões, interditada 100% devido ao deslizamento de terra; barreira do Cabo Branco, trecho interditado a partir do início da Rua Desportista José Eduardo de Holanda. Acesso bloqueado também a partir da Rua José Ramalho Brunet; Avenida Rio Grande do Sul, trecho entre as avenidas Maranhão e Pará,por conta de um buraco no asfalto; e Avenida Rui Carneiro, uma faixa interditada no sentido Centro, ponto oposto à Subestação da Energisa, devido a buraco na via.

Casas alagadas nas comunidades



Segundo informações da Defesa Civil de João Pesso, devido o grande volume de chuvas na Capital, comunidades inteiras iniciaram a semana submersas em água, obrigando os moradores a deixarem os lares. Um exemplo foi a comunidade localizada na região das Três Lagoas, em Oitizeiro, que realizou interdição da BR-230, no quilômetro 28, em protesto aos estragos da chuva. O mesmo transtorno foi visto no Bairro São José, que amanheceu com as casas alagadas. Os moradores estão sendo assistidos pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) da PMJP.

Em Cabedelo, Região Metropolitana de João Pessoa, a comunidade Vila Feliz também amanheceu com as casas cheias de água, obrigando moradores a deixar o local. Uma força-tarefa foi montada pela prefeitura da cidade, diminuindo os danos nos pontos mais críticos: Vila Feliz, Jardim América, Jardins Alfa, Beta e Gama e Portal do Poço.

Por lá, equipes da Defesa Civil e Secretaria de Infraestrutura estão abrindo valas e realizando serviços emergenciais para escoamento das águas. Segundo informações da Prefeitura Municipal de Cabedelo (PMC), de quarta-feira, dia 12, até ontem choveu cerca de 500 mm na cidade. Para se ter uma ideia do volume de água, no ano passado inteiro as precipitações somaram 480 mm. A previsão é de mais chuvas hoje.

No fim de semana, a PMC abriu mais um abrigo provisório – na Quadra do Renascer II. Por lá, estão sendo assistidas 15 famílias.

Além dele, no bairro de Oceania também está funcionando um abrigo, na escola Altimar Pimentel, com cerca de 30 famílias. Os espaços estão abastecidos com colchões, travesseiros e mantas. As famílias também estão recebendo roupas e alimentos.

Relacionadas